Filho de Valério Luiz questiona decisão do STF que permite retorno de Maurício Sampaio a cartório

No Facebook, o advogado explicou que Sampaio não pode voltar de imediato à titularidade do cartório

Valério Luiz Filho vê com estranheza decisão do STF  | Foto: Divulgação

Valério Luiz Filho vê com estranheza decisão do STF | Foto: Divulgação

O advogado Valério Luiz Filho usou as redes sociais, nesta sexta-feira (15/1), para questionar a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que devolve a titularidade do 1º Tabelionato de Protestos e Registros de Títulos e Documentos de Goiânia a Maurício Borges Sampaio, presidente do Atlético-GO e réu no caso do assassinato do radialista Valério Luiz.

No Facebook, Valério Luiz Filho afirma estranhar que a decisão tenha ocorrido justamente durante o recesso do STF e lembrou que o ministro Teori Zavascki já havia, no último ano, negado o mesmo pedido a Sampaio. “Agora, estranhamente, durante o RECESSO do STF, acontece esse disparate, sendo que assuntos cartorários sequer são assunto de plantão judicial”, questiona.

Além disso, o advogado frisa que Maurício Sampaio não pode retornar imediatamente à titularidade, pois se encontra afastado do cartório também por uma outra liminar, proposta pela promotora Villis Marra em 2013. “Esse processo, inclusive, encontra-se em vias de prolação da sentença, o que deve ocorrer nas próximas semanas”, explica o filho do radialista Valério Luiz.

“A falta de vergonha na cara não tem limites. Estou certo da revogação desta liminar quando do retorno dos ministros, e espero ansiosamente a sentença na Ação Civil Pública. Quanto ao caso do assassinato do meu pai, continuamos acompanhando os últimos recursos”, finalizou o advogado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.