Acusado diz que receberia moto e carro para ajudar na morte de Danilo

Hian Alves e Reginaldo Lima foram presos em flagrante Foto: Polícia Civil

Suspeito teria levado o garoto para a mata e vigiado para avisar caso alguém se aproximasse

Em depoimento, Hian Alves, acusado de envolvimento na morte do menino Danilo de Sousa Silva, de 7 anos, diz que Reginaldo Lima, o padrasto do garoto, ofereceu uma moto, um carro e trabalho para que ele o ajudasse. Segundo o relato, ele teria ajudado a levar o garoto até a mata onde o corpo foi encontrado, no Parque Santa Rita, em Goiânia.

“Fui até a beirada da mata, segurei no braço dele e ele machucou o menino”, disse durante o depoimento. O padastro teria dado pauladas, que acabaram por lesionar as nádegas da criança. “Ele estava vivo ainda”, relata.

Segundo Hian, a participação dele teria sido levar o garoto para dentro da mata e vigiar, avisando se alguém aparecesse. “Ele me ofereceu a moto e para mim (sic) trabalhar de reciclagem. E o carro (…). Eu levei para a mata (…) e fui trabalhar. Eu subi e ele ficou com o menino lá, não sei o que ele fez [depois disso]”, finaliza.

Danilo foi encontrado morto na última segunda-feira, 27, depois de ficar por quase uma semana desaparecido. O corpo foi encontrado em um lamaçal em uma mata próxima à casa onde ele morava com a família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.