Filha de Solange Couto revela ter sido estuprada duas vezes. Atriz se declara indignada e impotente

Morena Mariah foi abusada por familiar, quando tinha 11 anos, e por ex-namorado. Ela contou sobre as violências há quatro anos, mas não procurou a polícia por medo

| Foto: Reprodução Facebook

“Foi muito doloroso pra mim, mas a gente não tem do que se envergonhar e não pode se calar”, afirmou Morena, filha de Solange | Foto: Reprodução Facebook

Em entrevista ao jornal Extra, a atriz Solange Couto e sua filha, Morena Mariah, revelaram que a jovem, hoje com 25 anos, foi vítima de estupro em duas situações distintas. Na primeira, contou, ela tinha apenas 11 anos e foi abusada por uma pessoa da família, designada por Solange para cuidar dela enquanto trabalhava em outro estado. Na segunda, ela foi estuprada pelo ex-namorado.

Os dois casos ocorreram dentro da sua própria casa. O homem que cuidava dela quando ela era mais jovem morava lá e a estuprou diversas vezes. Já o ex-namorado se aproveitou de Morena enquanto ela estava embriagada e adormeceu. “Demorei algum tempo pra entender o que tinha acontecido. Eu estava desacordada. E mesmo após o ocorrido, ele tentou fazer piada do fato de ter feito aquilo. E como era uma pessoa de minha total confiança, eu tentei esquecer o assunto”, contou.

Morena só desabafou com a mãe há quatro anos, depois dos casos terem ocorrido e, por isso, não chegou a procurar a polícia por falta de provas. Ela conta que só conseguiu superar o sentimento de culpa e responsabilidade pela violência sofrida depois de conversar com outras vítimas e procurar grupos feministas.

Para Solange, não ter como denunciar os casos é massacrante, principalmente por saber quem foram os autores dos estupros. “Fiquei absurdamente indignada. Isso me revolta de tal maneira, porque eu não posso fazer nada, nem justiça, porque a Morena só veio me contar isso anos depois, quando ela já era maior”, disse ela.

“Me sinto amarrada, de pés e mãos. Não posso chegar na cara da pessoa e dar um murro, nem apontar o dedo na cara e esculachar. Não posso nada porque nada foi dito, nada foi aclarado, e ela não quer denunciar, tem medo”, lamentou. “As pessoas acreditam que estupro só acontece na rua, com um estranho que se aproxima numa rua escura. E não é assim. Passei por dois episódios de abuso e nenhum dos dois foi com pessoas desconhecidas”, afirmou Morena.

Apesar do medo de depor e da falta de provas, ela resolveu levar a discussão para as redes sociais, onde tenta ajudar outras pessoas falando sobre o assunto. “Foi muito doloroso pra mim, mas a gente não tem do que se envergonhar e não pode se calar”, afirmou. “O estupro causa um estrago muito grande dentro da gente porque as pessoas colocam a culpa sempre na vítima.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.