Fieg reúne empresários goianos para discutir funcionalidades do Pix

Encontro contou com palestra do gerente da CEF Ricardo Vilela, que orientou sobre vantagens da nova ferramenta nas transações financeiras

Liderado pelo empresário Jaime Canedo, o Conselho Temático da Micro, Pequena e Média Empresa (Compem-GO) da Fieg reuniu empresários goianos, nesta sexta-feira, 26, para discutir as funcionalidades do Pix, novo meio de pagamento eletrônico que permite transferências e pagamentos em tempo real e com baixo custo. O encontro online contou com palestra do gerente da Caixa Econômica Federal (CEF) Ricardo Vilela, que também é consultor financeiro.

De acordo com Vilela, o Pix faz parte da agenda do Banco Central que busca fomentar a inovação e competitividade no sistema financeiro, além de promover a educação financeira. A nova ferramenta entrou em vigor em novembro do ano passado e, com pouco mais de duas semanas de operação, já somava mais de 100 milhões de chaves.

“Apesar de ser obrigatório para as instituições com mais de 500 mil contas de clientes ativas, a tendência é de que todos os bancos e fintechs passem a utilizar. Trata-se de tendência mundial”, afirmou o consultor, ao citar as funcionalidades e vantagens da ferramenta.

Dados apresentados durante a live mostram a abrangência dos dispositivos móveis para realização de operações bancárias no Brasil. Atualmente, o país possui cerca de 230 milhões de smartphones ativos, sendo que 30% desses aparelhos já efetuaram algum pagamento no último ano. Estima-se que 64% dos jovens brasileiros já aderiram aos pagamentos móveis.

“A pandemia veio acelerar ainda mais essa tendência. Hoje, muitos pagamentos já são feitos sem contato com quaisquer equipamentos alheios. O Pix vem para agregar, ampliando a escolha do consumidor. É mais rápido, barato e seguro, além de permitir a integração com outros serviços do smartphone, como leitor de QR Code”, explicou Vilela.

Para o presidente do Compem/Fieg, Jaime Canedo, o Pix veio para ficar. “A ferramenta veio pra revolucionar as transações financeiras”, afirmou.

Contudo, o empresário alertou os participantes da reunião que o empreendedor precisa redobrar a atenção ao declarar o fluxo financeiro das transações. Para Jaime Canedo, o Pix traz facilidades, mas é mais uma ferramenta que o Governo Federal dispõe para cruzamento de dados sobre o faturamento das empresas, agora em tempo real.

A webconferência contou com a participação de cerca de 30 empresários. Acompanharam as discussões a presidente da Fieg+Solidária, Raquel Ribeiro; o deputado estadual Virmondes Cruvinel; os superintendentes João Carlos Gouveia (Fieg) e Humberto Oliveira (IEL Goiás); e o secretário de Indústria e Comércio de Santa Terezinha de Goiás, Romualdo Martins de Paula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.