Fieg cria solução para realizar negócios na crise

Federação também discute medidas de facilitação para a aprovação de crédito aos empresários goianos

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel | Foto: Alex Malheiros

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) apresentou proposta de criação de grupo para promover interação entre os empresários goianos. A justificativa para a criação do “Grupo Escambo – A Arte de Negociar” seria facilitar os negócios neste período de pandemia do novo coronavírus.

O presidente do Conselho Temático da Micro, Pequena e Média Empresa (Compem), Jaime Canedo, afirma: “Uma estratégia é criarmos um grupo de whatsApp com o propósito de incentivar negócios entre as empresas goianas”. 

De acordo com o empresário, a adesão será exclusivamente mediante convite de conselheiros do Compem e a participação incluirá CNPJs da indústria, do comércio e de serviços. Para tanto, já foram estabelecidas regras para participação de empresários no grupo. O documento foi aprovado na reunião dos conselheiros do Compem.

Jaime Canedo afirma que diante da crise econômica, consequência direta da pandemia do coronavírus, novas alternativas têm de ser criadas para os empresários cumpram sua função. “Acreditamos que promover negócios entre as empresas de nosso Estado fortalece nossa economia e aquece a relação de demanda e oferta”, diz o presidente do Compem.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, considerou interessante e criativa a iniciativa do Compem para driblar a crise. “Neste momento difícil, é importante fazer com que o consumidor possa adquirir produtos de sua própria região, o que pode resultar em troca de uma mercadoria por outra, entre uma indústria e outra. Vai abrir perspectiva muito grande. A Fieg já promove campanha para que o goiano dê preferência aos produtos goianos. Nós temos de defender o que é nosso, fazer o dinheiro circular dentro do Estado.”

Linhas de Crédito

Outra pauta tratada na reunião ordinária do Compem/Fieg foi o acesso ao crédito pelas MPMEs. O diretor de Operações da Goiás Fomento, Fernando Freitas, participou do debate e apresentou as medidas adotadas pela instituição para facilitar a aprovação dos pedidos encaminhados pelos empresários goianos.

Essa foi a segunda vez, em menos de um mês, que Freitas participa de videoconferência do Compem/Fieg para abordar a questão e ouvir dos empresários os entraves que enfrentam no acesso ao crédito.

Desde março, a Goiás Fomento conta com R$ 500 milhões liberados para operação de cinco linhas de financiamento: Goiás Fomento Turismo Capital de Giro, Microcrédito Produtivo Pessoa Jurídica (PJ), Microcrédito Produtivo Pessoa Física (PF), CredFomento e FCO Capital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.