Festival Bananada divulga programação completa

Com eventos em várias casas e integração com restaurantes, lojas, tatuadores, artistas e skatistas, edição 2016 começa em 9 de maio e segue até dia 15

| Foto: Divulgação

Destaques do line-up são Jorge Ben Jor, Renato Cohen + DJ Mau Mau + Anderson Noise, Planet Hemp e Liniker | Foto: Divulgação

A Construtora divulgou nesta terça-feira (29/3) a programação completa dos sete dias de Festival Bananada de 2016. Assim como vem ocorrendo nos últimos anos, o evento não se limita a um só local: além dos shows no Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), várias casas de Goiânia receberão bandas e DJs para apresentações simultâneas de 9 a 15 de maio.

Como já havia sido divulgado, os destaques do line-up são Jorge Ben Jor, Renato Cohen + DJ Mau Mau + Anderson Noise e Planet Hemp, fechando, respectivamente, as noites de sexta-feira (13), sábado (14) e domingo (15). No total, são 75 atrações, com destaque também para Liniker, Silva, Siba, Juçara Marçal, Felipe Cordeiro, Sara Não Tem Nome, Ogi, Yonatan Gat, Autoramas, Helio Sequence, Aldo The Band e Mahmundi.

Os goianos também têm espaço garantido no line-up: Dry, Hellbenders, Bruna Mendez, Dogman, Sheena Ye, Almost Down, Lutre, Trivoltz, Bang Bang Babies, Overfuzz e Kastelijns são alguns dos nomes que integram a programação.

A abertura do festival inaugura também o Bananada no Teatro, uma das maiores novidades desta edição. No Teatro Sesi, quatro artistas sobem ao palco: de início, Bruna Mendez se junta a Kastelijns para uma apresentação que promete muito experimentalismo. Depois, é a vez da cantora carioca Mahmundi e seu turbilhão de ritmos musicais. O encerramento da noite fica por conta de Thiago Pethit.

Segundo Fabrício Nobre, a escolha dos artistas que subirão aos palcos do festival foi baseada também no propósito de discutir questões atuais com a música. Nesse sentido, a discussão sobre a legalização da maconha ganha espaço com a participação do Planet Hemp, conhecido defensor da causa, enquanto os limites de gênero, por exemplo, são testados na apresentação do perfomático Liniker.

Liniker, aliás, é um dos cantores que mais chama atenção no line-up e que deve levar muita gente ao festival. A demanda pelo músico foi tanta que o Bananada criou um evento paralelo com ele, no Teatro Sesi, para que o público menor de idade pudesse assistir ao seu show.

Vale ressaltar, inclusive, que todos os eventos no Sesi são abertos para menores, que, por outro lado, só podem entrar no CCON se acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Crise não afungenta

Durante o evento de divulgação, o produtor cultural Fabrício Nobre, responsável pela Construtora Música e Cultura e por diversos eventos na capital, deu o tom do Bananada de 2016. Em tempos de dificuldades econômicas, pode ser arriscado realizar eventos deste porte, mas o desafio e a perda de patrocínios não acanharam a organização, que fará um festival ainda maior que o do último ano.

Além dos shows propriamente ditos, espalhados pela cidade, o Bananada integra gastronomia, arte, skate e tatuagem. Com diversos apoiadores e parceiros, o objetivo é extrapolar a música e realizar vários eventos integrados, ampliando a experiência do festival. Atrair públicos diferentes também é interesse da Construtora que, além de realizar shows que possam ser assistidos por menores de idade, também inaugura um espaço voltado para crianças.

A ideia, uma das novidades anunciadas para 2016, é o Meninada Bananada, um espaço inspirado em outros festivais para que as crianças também possam aproveitar o evento. Coordenado por duas professoras do Colégio Interamérica, o Meninada vai promover diversas atividades voltadas especialmente para meninos e meninas de 2 a 10 anos.

A programação completa da semana de festival você confere aqui.

Edição de 2015 teve público de mais de 20 mil pessoas | Foto: Divulgação

Edição de 2015 teve público de mais de 20 mil pessoas | Foto: Divulgação

Confira todos os eventos integrados do Bananada 2016:

Blackbook

Pela quarta vez, o Bananada realiza o Blackbook, um evento que reúne artistas e designers goianos. Em 2016, o artista Mateus Dutra coordena uma obra coletiva, com participação de 26 artistas para instalação no CCON.

Circuito Gastronômico de Goiânia Rock City

Quem já foi a algum Bananada sabe que o evento não tem só música. Além de diversas lojinhas, que vendem discos, camisetas e acessórios durante todo o fim de semana, os visitantes também têm à disposição uma praça de alimentação com muita variedade, reunindo alguns dos principais restaurantes goianienses.

Mais uma vez, o festival vai além do CCON e realiza, pela quarta vez, um circuito gastronômico que envolve várias casas da capital. Nestes bares e restaurantes, o cardápio ganhará um toque especial com preços atrativos para o público. Alguns deles inclusive sediam shows do Bananada.

Goiânia Crew Attack

Desde 2009, o Bananada monta, em parceria com a loja Ambiente, especializada na cultura do skate, uma pista para skatistas amadores. A diferença deste ano é que o campeonato, chamado Goiânia Crew Attack, será profissional. Em 2014 e 2015, as equipes montadas já tiveram grandes nomes do esporte tanto do Brasil quanto do exterior, o que deve ser ainda mais forte em 2016.

Os amadores, no entanto, podem ficar tranquilos. Fabrício Nobre adiantou que, na semana anterior ao evento, a pista já estará montada para um campeonato amador.

The Flash Weekend Tattoo

Goiânia já está acostumada com o Flash Day Tattoo. Promovido pelo Casulo Moda Coletiva, é um evento em que tatuadores disponibilizam uma série de desenhos para serem gravados na pele dos visitantes por um preço mais em conta que aqueles praticados em estúdios.

Assim como ocorreu em 2015, quando foram feitas mais de 150 tattoos, o Bananada terá um final de semana inteiro de tatuagens, reunindo 18 tatuadores brasileiros na ação. Além do Casulo, o Flash Weekend é realizado com participação da Is Cool.

Onde comprar?

Até esta terça-feira (29), os ingressos estavam disponíveis apenas para venda online, pelo site Sympla. Agora, além de pela Internet, as entradas podem ser adquiridas na Ambiente Skate Shop, na Tribo do Açaí, no Casulo Moda Coletiva, na loja de milk shakes Shuffle Mix e no estúdio de tatuagem Is Cool.

No primeiro lote, os ingressos custam R$ 60 (inteira) por dia. Quem pretende ir aos três dias de festival no CCON pode comprar o passaporte Banana Prata, que custa R$ 80. Outra opção é o Banana Ouro, que dá acesso a todos os eventos da semana de Bananada, inclusive em casas e bares, e custa R$ 100. O Sympla cobra uma taxa de serviço de 10% em cima de cada ingresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.