Felisberto Tavares aguarda fim de recesso para filiar-se ao PR

Ele disse que foi convidado para o PSDB pelo próprio governador, mas preferiu a sigla republicana pela “parceria de tempos” com a deputada federal Magda Mofatto

Vereador Felisberto Tavares irá se filiar ao PR | Foto: Marcelo do Vale

Após ser expulso do PT, vereador Felisberto Tavares irá se filiar ao PR | Foto: Marcelo do Vale

Sacramentado sua expulsão do PT, o vereador Felisberto Tavares, sem partido, afirmou ao Jornal Opção Online nesta segunda-feira (9/2) que espera o fim do recesso parlamentar na Câmara Municipal de Goiânia para filiar-se ao PR.

O convite veio da deputada Magda Mofatto e de Flávio Canedo, presidente da sigla em Goiás, após o início do processo que o retirou do antigo partido, no fim do mês. Os três são parceiros de longa data. “Após a expulsão, reforçaram o convite”, informou o vereador.

[relacionadas artigos=”27631,27247,27235,27544,19807″]

Felisberto acredita que a cúpula republicana não vai intervir em sua atuação parlamentar. “Eles são contra imposição, há essa convergência. E se não houver, vou ser expulso de novo”, comentou, aos risos.

O vereador reafirmou que pretende continuar votando projetos de acordo com suas convicções, no Poder Legislativo municipal. “E em sintonia com a sociedade. Mesmo estando no PT, eu tinha minhas convicções. E os que não contrariarem a população, vou votar a favor”, destacou.

O PT o expulsou por não seguir as orientações do partido. No ano passado, ele votou contra o reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU/ITU) e apoiou a candidatura do governador Marconi Perillo (PSDB).

Questionado se permanecerá na base do prefeito Paulo Garcia (PT), Felisberto fez a seguinte análise. “Continuo como sempre fui. Base não é aquela que sempre vota a favor do Paço Municipal, cegamente. Nunca achei legal esse conceito. O que defendo é um Legislativo mais independente”, frisou.

Com a filiação de Felisberto, o PR terá um único representante na Casa — nas eleições municipais de 2008 a sigla havia encaixado dois nomes.

No plano nacional, os republicanos fazem parte da base da presidente Dilma Rousseff (PT), enquanto que em Goiás sustentam Marconi Perillo.

Relacionamento

Felisberto ainda disse que três dias após sua expulsão, o governador ligou se solidarizando com a situação. Segundo ele, o tucano aproveitou para convidá-lo a filiar-se ao PSDB. E o vereador lembrou que tem dois compromissos com Marconi Perillo. Todos na Região Leste da capital, a qual representa.

Um pede a retirada do esgoto in natura lançado no Rio Meia Ponte e a instalação de uma unidade do Colégio da Polícia Militar de Goiás. “O governador prometeu incorporar ao plano de governo a instalação da rede de esgoto. E terreno é o que não falta para criar a unidade de ensino”, resumiu.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.