Fazendeiro de Rio Verde perde R$ 480 mil após cair em golpe dos nudes

Suspeitos de integrar quadrilha foram presos no interior do Rio Grande do Sul, em operação nesta quinta-feira

Um fazendeiro de 30 anos de Rio Verde, no sul do Estado, foi vítima de um golpe aplicado por uma quadrilha do Vale do Sinos, na região nordeste do Rio Grande do Sul, por meio da internet. O fazendeiro perdeu quase R$ 500 mil em pagamentos à quadrilha, entre fevereiro e março deste ano. Na manhã desta quinta-feira, 23, a Polícia Civil de Rio Verde executou a Operação Sem Fronteiras, com apoio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) do Rio Grande do Sul e da 1ª DP de Novo Hamburgo, cumprindo oito mandados de prisão temporária e 12 de busca, nos municípios de Novo Hamburgo, São Leopoldo, Taquara, Igrejinha e Nova Santa Rita. Cinco suspeitos foram presos e outros três ainda não foram localizados pela polícia.

De acordo com a Polícia, o fazendeiro teria sido vítima de uma prática conhecida como “sextorsão”. A princípio, ele foi seduzido nas redes sociais por uma personagem falsa, que usava da aparência física e conversas sexuais para atrair o homem. Com o tempo, a troca de mensagens evoluiu para sexo virtual, com troca de imagens íntimas, e uma nova fase do crime teve início. A partir daí, a vítima passou a ser extorquida por um criminoso que se passava pelo pai da menina e afirmava que a garota era menor de idade.

Na estratégia de extorsão, o falso pai declarava que as conversas causaram severos constrangimentos à vítima e mencionava a necessidade de tratamento psiquiátrico da menor, bem como uma eventual possibilidade de suicídio. Diante disso, o criminoso exigia uma compensação financeira para reparar danos materiais e morais, sem briga judicial. O golpe, entretanto, não parava aí.

Numa nova etapa, os membros da quadrilha se passavam por advogados, autoridades públicas, delegados de polícia e conselheiros tutelares, ainda em contato com a vítima. Nessa fase, os suspeitos falavam dos atos ilícitos, em razão das conversas de natureza sexual com a garota, e pediam novas quantias, para evitar sanções criminais. Ao todo, o fazendeiro pagou R$ 480.400,00 aos criminosos.

Agora, as investigações seguem, com o objetivo de identificar outros envolvidos e o dinheiro obtido no crime, para ressarcimento à vítima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.