Famílias afirmam que Kits merenda escolar da Prefeitura de Goiânia ajudam, mas são insuficientes

Essa distribuição visa complementar a alimentação dos estudantes nesse momento de suspensão de aulas presenciais devido à pandemia. Pais e responsáveis alegam que quantidade de alimentos ofertada não é a ideal

Entrega de kits de alimentação aos alunos da rede municipal de ensino começou a ser realizada na última segunda-feira, 17.

A Prefeitura de Goiânia começou a fazer a distribuição de 216 mil kits de merenda escolar para os alunos matriculados na Secretaria Municipal de Ensino (SME). As entregas são referentes aos meses de maio e junho e vão beneficiar todos os 108 mil alunos da  capital. Segundo a assessoria da SME, os itens ofertados visam complementar a alimentação dos alunos neste momento de pandemia, em que as aulas presenciais estão suspensas. 

“Essa entrega é muito importante para as famílias dos educandos, sobretudo porque muitas pessoas perderam o emprego. Dessa forma, o kit complementa a alimentação dos alunos e cumpre uma das mais importantes funções sociais das escolas, que é promover a segurança nutricional das crianças”, pontua Wellington Bessa, titular da SME. 

O kit em questão é composto por 2 kg de arroz, 1 kg de feijão, 1 litro de leite, 500 gr de macarrão, 500 gr de farinha de milho flocada e 125 gr de sardinha. A montagem do mesmo foi definida pela equipe técnica de nutricionistas da SME. A assessoria da Secretaria Municipal de Educação informou que o valor empregado na montagem de cada  kit é de R$ 30,00.  Os mesmos são adquiridos com recursos do tesouro municipal, por meio do Programa de Autonomia Financeira das Instituições Educacionais (PAFIE). 

Recebimento dos kits 

Vanessa Fonte Oliveira é mãe de uma das alunas beneficiadas pela entrega dos kits em Goiânia. Segundo a pedagoga de 27 anos, os alimentos em questão contribuem de maneira positiva na montagem de refeições básicas, mas não são suficientes. “Um pacote de arroz de 2 quilos é muito pouco, não consegue atender um mês.”, explica Vanessa. 

Miriam Dantas, mãe de dois alunos matriculados na rede municipal de ensino, a situação econômica de sua família durante a pandemia mudou muito, fazendo com que o orçamento ficasse mais apertado devido a fatores como uma diminuição em sua carga horária de trabalho. Segundo ela, o aumento no preço de alguns itens de alimentação também fez com que precisassem passar a comprar apenas itens essenciais.  “Não é o suficiente, mas ajuda bastante. Não dá pro mês, mas ajuda.”, afirma ela sobre os kits. 

Quando indagados sobre a quantidade de alimentos presentes nos kits, a  assessoria da Secretaria Municipal de Educação afirmou que é importante frisar que os kits distribuídos visam apenas a complementação da alimentação desses estudantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.