Falta de estrutura atrapalha visitantes de parques de Goiânia

Jornal Opção percorreu principais parques da capital e constatou diversos problemas, como mato alto, iluminação e manutenção precárias

Este slideshow necessita de JavaScript.

A falta de estrutura nos parques de Goiânia tem atrapalhado visitantes e se tornado alvo de preocupação por parte de moradores da capital. Nas últimas semanas, o Jornal Opção percorreu os principais parques da cidade e pôde observar de perto diversos problemas.

Localizado na divisa entre os bairros Parque Amazônia, Vila Rosa e Jardim Atlântico, o Parque Cascável já apresenta dificuldades com infraestrutura em relação às obras de recuperação do lago do local, que teve início em 2017 e ainda não tem previsão para ser concluída. Mas os problemas não param por aí.

A manutenção do parque também é alvo de críticas por parte dos frequentadores. O mato alto e a falta de iluminação são as principais reclamações de quem mora na região. “Eu não tenho coragem de vim aqui a noite porque é muito perigoso. O parque fica escuro e cheio de usuários de droga”, reclama Ronaldo.

O drama é o mesmo vivido pelos moradores do Setor Jaó. Quem frequenta o Parque Beija-Flor tem como maior reclamação a falta de segurança no local. “Não tenho mais coragem de passar por aqui à noite e, antes, eu vinha sempre”, conta a esteticista Lilian Rose.

“O pessoal faz muita caminhada aqui e, às vezes, até mesmo de dia, me sinto desprotegida. Não tem nenhum tipo de segurança”, emenda a dona de casa Aline Mota. A ausência de banheiros e bebedouros também integra a lista de reclamações das moradoras.

No Setor Bueno, bairro nobre da capital, o Parque Vaca Brava não foge à regra e chama atenção pela falta de estrutura. Praticamente todos os bancos espalhados pela pista de corrida estão sem assento. O mato alto também é bastante vísivel e, apesar da limpeza do local ser regular, não há banheiros ou bebedouros.

Fora isso, apesar da indicação em uma placa que o local possui Wi Fi, quem frequenta o Vaca Brava tem que se contentar com o sinal 4G, já que o serviço não funciona.

Neste cenário caótico, a única exceção é o Parque Areião, na região Sul da capital. No local, a grama e a pista de corrida são conservadas, e mesmo sem sinal de Wi Fi nem bebedouros, a iluminação é boa e o local possui banheiros, razoalvemente limpos.

O Jornal Opção entrou em contato com a assessoria da Prefeitura de Goiânia para tratar da falta de estrutura dos parques da capital, mas, até a publicação desta matéria, não obteve retorno.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.