Faculdade de Cristalina afirma que nota publicada pelo IGC não condiz com a realidade

No ranking, Faculdade Central de Cristalina foi apontada com pior nota (2,00060). Entretanto, instituição afirma que, na verdade, sua pontuação é 3

Jornal Opção e outros jornais do Estado publicaram o ranking do Índice Geral de Cursos (IGC), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que elencou as dez melhores e as dez piores faculdades de Goiás.

O cálculo é realizado anualmente e leva em conta a média dos Conceitos Preliminares de Curso (CPCs) do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição, ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados.

Além disso, também é considerada a média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela CAPES na última avaliação trienal disponível, convertida para escala compatível e ponderada pelo número de matrículas em cada um dos programas de pós-graduação correspondentes.

Por fim, o IGC leva em consideração a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu, exceto para as instituições que não oferecerem pós-graduação stricto sensu. Como se considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores, sua divulgação refere-se sempre a um triênio, compreendendo todas as áreas avaliadas previstas no Ciclo Avaliativo do Enade.

Na última posição, foi colocada a Faculdade Central de Cristalina foi colocada com a nota 2,00060. A instituição contesta a informação e afirma que possui nota 3 no IGC e no CI. Leia nota na íntegra:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.