Balanço do primeiro turno também conta com dados do Instagram

Foto: Divulgação

O Facebook divulgou nesta segunda-feira, 23, que removeu mais de 140 mil conteúdos que infringiam políticas contra interferência eleitoral nesta rede social e também no Instagram, durante o primeiro turno das eleições municipais de 2020.

De acordo com a empresa, os conteúdos excluídos possuíam informações que poderiam desestimular os eleitores a irem votar, como por exemplo, horários errados de abertura das urnas.

Neste período, também foram rejeitadas mais de 250 mil submissões de anúncios políticos (conteúdos impulsionados) sobre política ou eleições que não continham o rótulo “Propaganda Eleitoral” ou “Paga por”, direcionadas ao público brasileiro.

Segundo o Facebook, desde agosto, qualquer pessoa ou organização que quiser fazer publicidade sobre política ou eleições no País precisa passar de autorização, confirmando sua identidade e residência no Brasil.

Por fim, a empresa de mídia social anunciou que mais de 3 milhões de usuários acessaram um anúncio fixado em suas páginas virtuais, com informações sobre higiene pessoal e protocolos sanitários para o dia das eleições, no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

[Esta matéria conta com informações do Portal G1]