Exportações goianas apontam para novo recorde

Empresas goianas venderam 279 produtos diferentes para 91 países, com destaque para complexo soja 

As exportações goianas deverão bater novo recorde este ano, superando a casa dos US$ 7,5 bilhões, valor superior ao registrado em 2017, quando chegou a US$ 6,9 bilhões. A estimativa é do superintendente executivo de Comércio Exterior da Secretaria estadual de Desenvolvimento (SED), Willian O´Dwyer, ao divulgar que de janeiro a julho último as vendas de produtos goianos a outros países já chegaram a US$ 4,462 bilhões, ou seja 64,61% do total registrado no ano passado. Essa quantia é quase 12% superior à do mesmo período de 2017 (US$ 3,987 bilhões).

Nos últimos sete meses, as importações chegaram a US$ 2,074 bilhões, aumento de 11,16% em relação a igual período do ano passado. O saldo da balança comercial goiana foi de US$ 2,387 bilhões, valor superior ao de 2017, que chegou a US$ 2,120 bilhões.

O secretário estadual de Desenvolvimento, Leandro Ribeiro, fala do esforço do Governo de Goiás em abrir fronteiras de outros países para os produtos goianos. “Temos conversado com muitos representantes de empresários e de governos de outras nações para mostrar a qualidade e a variedade dos produtos goianos. Estamos confiantes que nossas exportações continuarão a crescer mais e mais”, disse o Secretário.

No mês passado, a balança comercial goiana registrou um saldo positivo de US$ 370,144 milhões. As exportações somaram US$ 685 milhões enquanto as importações foram de US$ 314,865 milhões.

As empresas goianas venderam para 91 países 279 produtos diferentes. O complexo soja (farelo, óleo e grãos) liderou o ranking dos produtos goianos exportados em julho, com 63,76% do total e um crescimento de 51,82%, em relação ao mesmo mês do ano passado.

As vendas para o exterior de carnes (bovina, suína, aves e outras) também subiram 13,60%, puxada pelas carnes bovinas cujas vendas aumentaram 115,43%. Contudo, as carnes de aves, suína e outras tiveram retrações devido ao embargo de alguns países europeus.

O açúcar goiano foi outro produto de grande aceitação pelo mercado internacional, no mês passado, com as exportações crescendo 16,42%. Já as exportações de ferroligas caíram 34,16%.

Os países que mais compraram produtos goianos, em julho, foram a China, que ficou com mais de 50% dos produtos vendidos ao exterior, principalmente soja e seus derivados, carnes bovina e de aves, ferroligas, açúcar, algodão, manganês e outros. Em seguida vieram os países Baixos (Holanda), o Irã e a França.

As empresas goianas importaram 1.357 produtos de 64 países diferentes, em julho último, com destaque para insumos farmacêuticos para as indústrias do ramo, seguido de adubos e máquinas e aparelhos e instrumentos mecânicos. Esses produtos vieram dos Estados Unidos, Alemanha, Suíça, Rússia, China e Japão.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.