Experiência goiana torna-se referência no fisiculturismo nacional

Sucesso das competições realizadas em Goiás e crescimento do esporte no estado culminam em convite da Confederação Brasileira para suporte em evento nacional

O ano de 2018 já havia ficado marcado na história do fisiculturismo goiano desde o primeiro semestre com a realização da primeira edição brasileira do IFBB Elite Pro em Goiânia. Mas o nível a ser superado no futuro segue aumentando com a Federação Goiana de Musculação Fitness e Fisiculturismo (Fegomff/IFBB-GO) sendo convidada para participar da organização do 49º Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo e Fitness, realizado no fim de julho em Ribeirão Preto.

O convite partiu da Confederação Brasileira de Musculação, Fisiculturismo e Fitness (CBMFF/IFBB Brasil), realizadora da disputa, em busca de repetir a experiência bem sucedida dos eventos goianos na competição nacional. “Esse convite surgiu devido ao trabalho e estrutura que estamos oferecendo aqui, algo que já foi adotado como padrão nacional. Uma das maiores federações do Brasil, Minas Gerais já faz igual e agora o próprio Campeonato Brasileiro teve a mesma estrutura que adotamos aqui há alguns anos”, explica Márcio Rezende, presidente da Fegomff/IFBB-GO.

Mas mais do que luzes e painéis de LED, o que atrai o olhar de todo o País para o fisiculturismo goiano são os resultados do trabalho da gestão atual. Além de ter sido o primeiro destino do internacional Elite Pro no Brasil, Goiás segue no calendário nacional graças à Copa Body Classic.

Valendo vaga em competições mundiais e o direito de profissionalização aos campeões Overall – campeão dos campeões da noite –, o torneio atrai competidores de diversos estados brasileiros atrás de dar o próximo passo em uma carreira como atleta do fisiculturismo.
Resultados que também se manifestam nos números do esporte em Goiás. Com títulos nacionais importantes e pelo menos nove atletas classificados para competições internacionais, o Estado apareceu no ranking nacional pela primeira vez em sua história.

O desempenho dos atletas locais levou o fisiculturismo goiano a ser qualificado como o quarto melhor do País, atrás apenas de potências da modalidade como São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. “Estar no Top 4 diz muito sobre a qualidade dos nossos atletas especialmente por que enquanto as Federações que aparecem a nossa frente têm em média de 500 a 600 filiados nós ainda contamos com cerca de 150 competidores”, avalia o presidente da Federação Goiana.

Ainda que seja inferior ao de outras entidades estaduais, o número de competidores em Goiás quase triplicou nos últimos anos ao saltar de 60 participantes no circuito anual para orbitar entre os 150 a 200 novatos que têm passado pelo calendário estadual todo ano.

Projetando ainda mais crescimento no futuro próximo, Márcio Rezende aconselha os interessados em iniciar uma carreira competitiva no fisiculturismo a procurar a Fegomff/IFBB-GO bem como se inteirar do Código de Ética do e do Termo de Responsabilidade da entidade, que é filiada ao Ministério do Esporte, ao Comite Olímpico Internacional e signatária do Código Mundial Antidopagem.

Confira a lista de atletas goianos classificados para competições internacionais em 2018:

Edmar José Vieira – Master I até e incluindo 70 kg
Patrícia de Oliveira – Women’s Physique até 1,63 m
Giancarlo De Luca Moreira Antunes – Mens Physique até 1,73 m
Simone Nasareth Machado – Body Fitness 1,58 m Sênior
Marcos Vinícius Cavalcante Oliveira – Open Wheelchair
Lúcio Fernandes Bento – Fisiculturismo Clássico Sênior até e incluindo 1,80 m
Jean Carlos dos Santos Cordeiro – Júnior até 80 kg
Agmar Braga dos Santos – Men’s Physique acima de 1,82 m
Juliana Borges Sousa – Wellness Fitness acima de 1,68 m

Deixe um comentário