Excesso de projetos de lei que homenageiam Iris e Marília devem ser unificados

Grande número de projetos e ações em tributo a morte de figuras política e cultural traz necessidade de unificar medidas

Com um grande número de projetos de lei sendo protocolados na Câmara Municipal de Goiânia com o intuito de homenagear o ex-governador de Goiás, Iris Rezende, e a cantora Marília Mendonça, o presidente da Casa, Romário Policarpo (Patriota), sugeriu a unificação de todos eles em apenas um para cada personalidade, na manhã desta quarta-feira, 10. A intenção, segundo Policarpo, é fazer com que a proposta seja da Casa, não somente de vereadores específicos, e economizar tempo de discussões.

Depois de três meses internado, o emedebista faleceu nesta terça-feira, 9, devido a um AVC. Já a cantora sertaneja foi vítima de queda de avião na cidade de Caratinga, Minas Gerais, na sexta-feira, 5. Com a presença de diversos projetos de lei – como os de Sabrina Garcêz, sobre Marília Mendonça, e o do próprio presidente da Casa, que homenageia Iris – com o intuito de homenageá-los fez com que o presidente propusesse a unificação destas homenagens em apenas uma para cada, sendo assinados pela Câmara Municipal.

“Pedimos para todos os vereadores que apresentaram projetos, que retirem eles e que a Câmara Municipal faça um só com os 35 vereadores assinando ao final”, disse Romário na sessão plenária desta quarta-feira, 10. 

Troca de nomes

Um dos primeiros projetos de lei que apareceram logo após a morte do ex-prefeito de Goiânia foi o do próprio presidente da Câmara Municipal de Goiânia. Romário Policarpo propôs a troca do nome do Parque Mutirama para “Parque Iris Rezende – Mutirama”. A proposta foi justificada pelo carinho que Iris tinha pelo espaço, além de ter sido inaugurado por ele, em 1969, e reaberto, em 2019, também pelo ex-prefeito e governador.

Já para a cantora Marília Mendonça, uma das homenagens protocoladas foi a troca do nome da Avenida Castelo Branco para “Av. Marília Mendonça”, localizada na região central da capital goiana. A proposta é do vereador Marlon Teixeira (Cidadania), e tem o objetivo de honrar a sertanejo e, ao mesmo tempo, fazer justiça histórica, uma vez que o atual nome está ligado ao ex-presidente do período de ditadura militar no Brasil. 

“Castelo Branco foi um ditador golpista; o primeiro presidente que tivemos após o Golpe Militar de 1964. Marília Mendonça representa liberdade, quebra de tabus, preconceitos e o empoderamento da mulher. Então é muito importante termos bons exemplos como a Marília Mendonça”, argumenta Marlon.

Outra avenida que sofreria alteração no nome, de acordo com a propositura da vereadora Sabrina Garcez (PSD), é a T-63, passando a ser “Avenida T-63 – Marilia Dias Mendonça”. Além disso, a Prefeitura de Goiânia, através de um decreto que será publicado no Diário Oficial do Município, vai alterar o nome do parque Bosque dos Buritis, que receberá o nome de Iris Rezende.

Outras ações 

Ainda de Sabrina Garcez sobre a cantora sertaneja, a vereadora propôs a criação da Comenda Marília Mendonça. Outorgada pela Câmara Municipal, a comenda será destinada às mulheres que tenham se destacado na cultura sertaneja, sendo assim quatro comendas escolhidas anualmente, em votação simples, na pelos vereadores em Plenário.

Para o ex-prefeito e ex-governador, foi apresentada pelo vereador Aderson Sales (DEM) a criação da medalha Iris Rezende, no município de Goiânia. De acordo com o texto do projeto, fica instituída a medalha a ser conferida àqueles que se destacarem em qualquer área de atuação. Anualmente serão outorgadas 35 medalhas em sessão solene a ser realizada no dia 9 de novembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.