Ex-Quasar comanda novo projeto para bailarinos goianos

Projeto Centrípeto busca formar jovens bailarinos e ajudá-los a entrar no mercado de trabalho, sem que eles precisem ir para outras cidades

Além dos já selecionados, mais 25 bailarinos poderão participar dos workshops | Foto: divulgação

Além dos já selecionados, mais 25 bailarinos poderão participar dos workshops | Foto: Divulgação

Um novo projeto em Goiânia acolherá jovens bailarinos atuantes na cena de dança local que estão fora do mercado de trabalho. A partir de dezembro o projeto Centrípeto, financiado pela Funarte através do prêmio Klauss Viana 2014, dará formação continuada a dez dançarinos, que foram selecionados em julho para participar do projeto.

O projeto será comandado por Daniel Calvet, assistente, desde 2011, do coreógrafo Henrique Rodovalho, à frente da Quasar Cia de Dança, e coreógrafo da Quasar Jovem. Os bailarinos selecionados receberão formação continuada de ballet clássico, dança contemporânea e Ioga com professores residentes em Goiânia, além de workshops com professores reconhecidos nacionalmente. Além deles, outros 25 dançarinos poderão participar destes workshops.

Faz parte da formação, também, o acesso a uma videoteca de dança de trabalhos de coreógrafos do mundo todo, para discutirem propostas e introduzir modos de fazer dança ainda desconhecidos para alguns. A iniciativa, além de ser uma oportunidade de formação capacitada a esses profissionais já iniciados, pretende a constituição de um grupo profissional atuante.

“Este será um lugar para absorver bailarinos diferenciados do padrão clássico e acadêmico da dança e que possam desenvolver propostas ousadas de criação e interlocução com o público. Algo que está fazendo falta na cidade de Goiânia”, explicou Daniel Calvet.

Objetivo

“Vejo em Goiânia a formação de uma juventude interessada em novas linguagens e novas informações referentes a dança, porém não encontram lugar para dar vazão aos seus anseios artísticos uma vez que as ações que se voltam para um formato menos acadêmico são poucas e os mesmos acabam abandonando o contato com a dança por não se identificarem com as propostas do que acontece e se oferece na cidade”, comentou Calvet.

O Centrípeto busca, portanto, dar oportunidades para que esses bailarinos — que muitas vezes têm que migrar para outras cidades para obter informação e trabalho — consigam se inserir no mercado de trabalho. A intenção, explicou o bailarino responsável pelo projeto, é fazer com que mesmo após o término do projeto da Funarte, ele continue.

Esta profissionalização, além de impactar diretamente os envolvidos, representaria um legado cultural para Goiás. “O resultado da vivência deste grupo já se configuraria em um trabalho artístico de alta qualidade retornando para a cidade um grupo apto a se apresentar e manter um repertório de dança pensado e criado para eles e que toda a classe artística da cidade poderia absorver resultados dessa capacitação que proponho.”, destacou.

Os primeiros encontros já têm data marcada: 2 a 4 de dezembro acontece o primeiro workshop com Alex Neoral e 5 a 7 de dezembro com Renata Versiani. Aqueles interessados em participar basta enviar e-mail para o projeto ([email protected]) com breve currículo da experiência com a dança. Os selecionados serão notificados por e-mail.  

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.