Cacai e demais envolvidos em suposto esquema na Codego são soltos após prisão temporária

Eles eram alvo de operação da PC que apura a prática de crimes contra a administração pública, corrupção, fraude em licitações e lavagem de capitais

O ex-diretor da Codego e presidente do diretório do DEM em Anápolis, Carlos César Savastano de Toledo, conhecido como Cacai Toledo, o ex-prefeito de Campinaçu, Welinton Nenzão, e outros investigados foram soltos na noite deste domingo, 19, após permanecerem quatro dias em prisão temporária.

Os suspeitos foram presos na última quarta-feira, 15, em uma operação da Polícia Civil que investiga crimes contra a administração pública, corrupção, fraude em licitação e lavagem de capitais.

Até o momento, não foram divulgados detalhes sobre o caso, pois o processo é sigiloso. No entanto, a PC confirma que novas diligências poderão ser realizadas a depender das investigações da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – Draco.

A reportagem entrou em contato com Cacai e com Nenzão, que é pré-candidato à prefeito em Campinaçu, para esclarecimentos, mas não obteve retorno. O espaço permanece aberto para manifestações.

A Operação

A Operação Negociatas cumpriu seis mandados de prisão temporária e 23 mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia e Campinaçu, no estado de Goiás, e Cuiabá, estado de Mato Grosso, na última quarta-feira, 15.

Além de Nenzão, também foram presos Antônio Fernando Pereira Ribeiro, dono da empresa LogLab Digital, Flávio Ramos de Andrade, Joaquim Inácio Guimarães Filho e Ernesto Augusto Eichler e o ex-diretor da Codego, Carlos Toledo.

A investigação, iniciada em julho de 2019, apura a prática dos crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, fraude à licitação e lavagem de dinheiro.

São investigadas fraudes em procedimentos licitatórios para a contratação de empresas de tecnologia da informação (T.I.), além da solicitação e recebimento de vantagens para benefícios em contratos com a administração pública. Durante a ação também foram apreendidos diversos documentos, computadores e objetos relacionados à investigação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.