Ex-mulher de condenado do Mensalão afirma ter dossiê que incrimina Lula

Além do ex-presidente, documentos atingem outros figurões da política nacional, incluindo o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB)

Em depoimento à CPI dos Correios, Maria Christina Mendes acusou o marido de desviar verbas do PL e de ameaça-la para não contar o que sabia | Foto: Roberto Stuckert Filho

A ex-mulher do ex-deputado federal Valdemar Costa Neto (PR), Maria Christina Mendes Caldeira, um dos condenados do Mensalão, teria em mãos um dossiê com provas contra políticos conhecidos do país, entre eles o ex-presidente Lula (PT) e o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB). Alegando sofrer ameaças, ela se mudou para os Estados Unidos, onde pediu asilo político.

Segundo a Folha de São Paulo, a advogada e professora de Direito Internacional da Universidade de São Paulo (USP), Maristela Basso, afirmou que a mulher fugiu, trocou sua identidade e está atualmente sob proteção do governo americano. Segundo Maristela, ela chegou a oferecer as provas ao Ministério Público Federal (MPF), mas como não obteve garantia de proteção, decidiu procurar autoridades estrangeiras.

Os dados teriam sido levantados por uma empresa americana contratada por ela quando seu casamento com Valdemar, que durou menos de um ano, começou a caminhar para o fim. Mesmo não tendo tido acesso aos documentos, a advogada garante que eles não são falsos.

Maristela afirma que o dossiê será entregue ao Departamento de Justiça dos EUA. Eles trazem descrições das operações financeiras de Valdemar e aliados políticos, além de comprovarem a existência de cofres alugados em bancos no Uruguai e em Portugal onde seriam guardados diamantes da África.

Mensalão

Valdemar foi um dos denunciados no chamado Mensalão, que revelou um esquema de pagamento de propina em troca de apoio a projetos do Governo Federal, à época comandado por Lula. Ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2013 a sete anos e dez meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

O político, no entanto, ficou preso por apenas 11 meses, seguindo então para a prisão domiciliar. Em 2015, o ministro do STF Luís Roberto Barroso perdoou sua pena. Maristela afirmou que entrou com uma ação na Corte Interamericana contra a decisão do ministro.

Em 2005, Maria Christina foi uma das convidadas a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios. Na oportunidade, ela acusou Valdemar de ameaça-la para que não contasse o que sabia e disse que ele usou verbas do PL, partido do qual era presidente, em benefício próprio.

2 respostas para “Ex-mulher de condenado do Mensalão afirma ter dossiê que incrimina Lula”

  1. Avatar Mustafa all disse:

    Se ela acusar só o Lula, o MPF terá interesse rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.