Ex-governador do Tocantins se entrega à PF e é preso

Sandoval Cardoso é suspeito de envolvimento em um esquema que fraudava licitações no Estado

O ex-governador do Tocantins Sandoval Cardoso (SD) se apresentou à Polícia Federal no início da noite desta quinta-feira (13/10). Ele é investigado na Operação Ápia, que apura fraudes em licitações públicas e execução de contratos administrativos celebrados para a terraplanagem e pavimentação asfáltica em diversas rodovias estaduais.

Após prestar depoimento, o ex-governador, que teve mandado de prisão temporária expedido nesta manhã. deve ser encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP). A defesa de Sandoval afirma que ele colaborará com as investigações.

Além de Sandoval, o ex-governador José Wilson Siqueira Campos (sem partido), a Secretaria de Infraestrutura de Tocantins, a empresa Vídeo BG e a empresa Barra Grande Construtora são alvos da operação. O foco da investigação são as obras nas rodovias licitadas e fiscalizadas pela secretaria de infraestrutura, que correspondem a 70% do valor total dos empréstimos contraídos.

Siqueira Campos e Sandoval Cardoso foram governadores entre 2011 e 2014. Conforme decisão liminar expedida pela Justiça Federal, eles atuaram diretamente no contrato de financiamento firmado com o Banco do Brasil. Parte do dinheiro teria sido usada em campanhas eleitorais. O MPF alegou, inclusive, que a renúncia de Siqueira Campos fazia parte de um plano arquitetado para manter o mesmo grupo político no poder e eleger seu filho, José Eduardo Siqueira Campos, como deputado estadual.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.