Ex-assessor de Temer, Rocha Loures é preso pela Polícia Federal

O ex-deputado, e agora suplente, foi flagrado pela PF em março deste ano recebendo uma mala com meio milhão de reais em propina

A Polícia Federal informou que o ex-assessor especial do presidente Michel Temer (PMDB) Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi preso em Brasília, na manhã deste sábado (3/6), por determinação do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lavajato no Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-deputado se encontra na Superintendência Regional da PF em Brasília e não há previsão de transferência. Em março deste ano, Loures foi flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com meio milhão de reais que, conforme delações de executivos da JBS, seria fruto de propina.

Na decisão, Fachin afirma que só não havia determinado a prisão anteriormente devido ao mandato parlamentar exercido por Rocha Loures. Ele disse, porém, que já considerava a prisão “imprescindível” para interromper o cometimento de crimes. O ex-assessor deixou o mandato de deputado e virou suplente após Osmar Serraglio ter deixado o Ministério da Justiça e retornado à Câmara Federal.

O advogado de Rocha Loures, Cezar Bitencourt, argumentou em sua defesa ao ministro Fachin que a Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou a prisão de seu cliente com objetivo de “forçar delação” premiada. A defesa também contesta a medida, destacando que o ex-parlamentar não poderia, de qualquer forma, interferir nas investigações.

Deixe um comentário