Ao lado de Marconi e Rollemberg, Lúcia Vânia se filia ao PSB em Goiânia

Oposição compareceu de forma discreta ao evento. Presença massiva da base do governador de Goiás sinaliza integração do PSB ao grupo do tucano chefe

| Foto: Reprodução/Twitter

Em assinatura da ficha de filiação da senadora Lúcia Vânia, ficou clara possibilidade da ex-tucana ser o que falta para o PSB de Vanderlan Cardoso se unir à base do tucano chefe, Marconi Perillo | Foto: Reprodução/Twitter

“Estou com a sensação de quem traz a noiva.” Foi assim que o governador Marconi Perillo (PSDB), presente no evento de filiação da senadora Lúcia Vânia no PSB, começou o discurso cheio de referências a mudanças e renovações. A presença massiva de integrantes da base do governador no evento sinalizam que Lúcia Vânia pode ser a figura que irá levar o PSB goiano de vez à sustentação do tucano chefe no Estado.

A senadora assinou a ficha de filiação logo no início do evento, que encheu o auditório da Câmara Municipal de Goiânia na manhã desta quarta-feira (26/8). Na mesa, ao lado da senadora, sentaram-se o governador, o presidente do PSB nacional, Carlos Siqueira, o presidente estadual, Vanderlan Cardoso, e o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB).

Senadora chegou à Câmara Municipal ao lado do governador do DF, Rodrigo Rollemberg, e do presidente do PSB nacional, Carlos Siqueira | Foto: Sarah Teófilo

Senadora chegou à Câmara Municipal ao lado do governador do DF, Rodrigo Rollemberg, e do presidente do PSB nacional, Carlos Siqueira | Foto: Sarah Teófilo

Em discurso, após lamentar a saída da senadora do PSDB, Marconi pontuou que mesmo em diferentes partidos, não estarão separados. “Eu quero entregar a noiva nas mãos de vocês. Mas em hipótese alguma estaremos afastados a partir de agora.” O governador ainda lembrou da trajetória ao lado de Lúcia Vânia, e citou dois poemas — um de Cecília Meireles e outro da poetisa goiana Cora Coralina — em que fala-se de renovação.

Já a senadora, no início do discurso, agradeceu o governador, dizendo que não está abandonando o PSDB. “Não estou deixando nossa história. Estou em busca de um novo guia para chegar a um novo caminho para o Estado de Goiás.”

Em entrevista, questionada se estaria flertando com a oposição no Estado — especificamente com o PT e o PMDB — , Lúcia Vânia ressaltou que nunca fez discriminação a nenhum partido. Sobre a visita que fez com o prefeito Paulo Garcia (PT) às obras da Praça Cívica e do Macambira-Anicuns, a senadora pontuou que saiu com o petista apenas para prestar apoio parlamentar. “É muito cedo ainda para falar em aliança.”

De acordo com a senadora, a filiação ao PSB irá reformar o partido, e fazer com que cresça. “Será uma legenda que irá ao encontro daquilo que a sociedade necessita”, disse. Posicionamento foi frisado pelo ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso, que explicou como a integração de Lúcia Vânia auxilia no crescimento da legenda. “E reforça a minha candidatura para 2016, com certeza”, disse.

Em tom de brincadeira, Vanderlan ainda afirmou ter ficado temeroso com a possibilidade da senadora permanecer na legenda tucana. “Achei que o governador Marconi Perillo ia conseguir convencê-la a ficar no PSDB”.

O presidente do PMDB, Samuel Belchior, compareceu rapidamente ao evento. No local, estavam presentes ainda os deputados estaduais Chiquinho Oliveira (PHS), Mané de Oliveira (PSDB), Gustavo Sebba (PSDB) e Simeyzon (PSC); Anselmo Pereira (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Goiânia, os vereadores Elias Vaz e Pedro Azulão Jr. (ambos do PSB), Tatiana Lemos (PC do B), Thiago Albernaz (PSDB) e Carlos Soares (PT), líder de Paulo Garcia na Casa. Além deles, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, o vice-governador de São Paulo, Marco França, entre outras lideranças.

Senadora Lúcia Vânia durante assinatura de ficha de filiação | Foto: PSB Goiás/ Facebook

Senadora Lúcia Vânia durante assinatura de ficha de filiação | Foto: PSB Goiás/ Facebook

Filiação no PSB, e não no PPS
Presidente estadual do PPS, Marcos Abrão, sobrinho de Lúcia Vânia | Foto: Sarah Teófilo

Presidente estadual do PPS, Marcos Abrão, sobrinho de Lúcia Vânia | Foto: Sarah Teófilo

Durante o processo em que Lúcia Vânia analisava um partido poderia se filiar assim que saísse do PSDB, cogitou-se que a senadora ficaria no PPS, presidido em Goiás por seu sobrinho, Marcos Abrão. E ainda no meio dessas conversas, havia a discussão em torno da fusão entre PPS e PSB, frustrada após incompatibilidade das legendas no Pernambuco, de acordo com o presidente Marcos Abrão.

De qualquer forma, o fim temporário da tão esperada fusão não abalou a aliança das siglas em Goiás, que ficaram aguardando, apenas, a decisão da senadora sobre em qual partido iria se filiar. Mesmo com o sobrinho no PPS, Lúcia Vânia escolheu o PSB por questões nacionais, como frisado pelo própria senadora. “Resolvi vir para o PSB em função da estrutura que temos no Senado, e pela parceria que tenho com o partido na Casa, além da identificação dos projetos que tocamos lá.”

Marcos Abrão disse ao Jornal Opção Online que recebeu com tranquilidade a decisão da senadora, e que decisão de aliança com o PSB em Goiânia está mantida. “Iremos ganhar as eleições com Vanderlan Cardoso como candidato na capital”, garantiu. Sobre a relação com o governador Marconi Perillo, o presidente do PPS frisou que pretende continuar ao lado do tucano, que sempre o ajudou.

Já quanto à fusão, Marcos ainda pontuou que questão será retomada em 2016, após as eleições municipais. Legendas tentarão fazer valer a mudança já para 2017, antes das eleições majoritárias em 2018.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.