Etapa inaugural da Stock Car em Goiânia leva 45 mil ao autódromo

Corrida de duplas emocionante e extremamente movimentada teve várias disputas. Os pilotos Ricardo Maurício e o argentino Nestor Girolami subiram ao degrau mais alto do pódio

Mesmo com tempo nublado e com ameaça de forte  chuva, segundo a previsão do tempo, o público goianiense não deixou de marcar presença na etapa inaugural do Campeonato Brasileiro de Stock Car realizada no último domingo, 22, em Goiânia. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 45 mil torcedores estiveram presente no Autódromo Internacional da capital, demonstrando que a cidade nutre grande paixão por carros e pela velocidade.

Era perceptível que famílias inteiras foram ver um grande espetáculo de automobilismo que nesta etapa de abertura da temporada 2015 trouxe um sistema especial de duplas para cada carro, no qual foi possível formar um grid dos sonhos com as presenças do campeão da temporada de 1997 de Fórmula-1, o canadense Jacques Villenueve.

Nomes consagrados do automobilismo brasileiro como Ingo Hoffman -– 11 vezes campeão da Stock Car — e Chico Serra retornaram excepcionalmente aos bólidos em Goiânia e  correram ao lado de feras como o atual campeão da categoria Rubens Barrichello, além de Cacá Bueno,  Thiago Camilo, Antônio Pizzonia, Ricardo Zonta, Luciano Burti e Daniel Serra.

Porém, o que mais chamou atenção foi a presença de representantes das famílias de três multi-campeões da Fórmula-1: Nelsinho Piquet, Bruno Senna e Nicolas Prost. Respectivamente o filho do tri-campeão Nelson Piquet, o sobrinho do também tri-campeão Ayrton Senna e o filho do francês tetra-campeão Alain Prost reviveram por um dia uma das maiores rivalidades do automobilismo mundial de todos os tempos.

Além do canadense Jacques Villenueve e do francês Nicolas Prost, a etapa de Goiânia também teve a participação de pilotos estrangeiros da Itália, Argentina, Austrália, Nova Zelândia, Bélgica, Portugal, México e Espanha que mostraram perícia, combatividade e agressividade durante 35 voltas pelos 3.835 metros do Autódromo Ayrton Senna na capital goiana.

A corrida

O pole position Átila Abreu manteve a liderança nas primeiras voltas, mas uma vibração no carro o fez perder alguns postos e o vice-campeão adiantou a parada para que Nelsinho Piquet iniciasse seu turno. No entanto, a quebra do rolamento da roda traseira esquerda impediu o carro número 51 de continuar na disputa. No final, a vitória ficou com a dupla Brasil-Argentina formada por Ricardo Maurício e Nestor Girolami. O argentino, campeão do Super TC2000 de seu país, teve de guiar por seu turno sem comunicação com a equipe via rádio e só se tranquilizou quando passou a ser avisado pelo time por meio de placas mostradas na mureta que separa os boxes da reta.

Atrás da segunda dupla Brasil-Argentina chegou o carro de Thiago Camilo e Lucas di Grassi no quinto lugar, com Max Wilson/Vitor Meira em sexto. Apesar de relatar alguns problemas de estabilidade no carro durante os treinos, o vencedor do ano passado Felipe Fraga conseguiu, junto do parceiro português Álvaro Parente, cruzar a linha de chegada em sétimo.

O público que compareceu ao Autódromo teve um espetáculo de automobilismo de alto nível e, sem sombra de dúvidas, voltaram para casas felizes àqueles que esperavam assistir um show de ultrapassagens, estratégia e perícia. A chuva que ameaçava estragar o espetáculo não caiu, o que deixou o evento ainda mais perfeito. A estrutura impecável do autódromo ainda impressiona os profissionais da organização da Stock Car, como pilotos, mecânicos, fiscais de provas e toda a imprensa especializada que classifica a praça esportiva da capital uma das melhores do País e da América do Sul.

Por um dia Goiânia não somente foi a capital brasileira da velocidade, mas pela importância de nomes envolvidos nesta prova, foi a centro mundial do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.