Estudo aponta presença do novo coronavírus no Brasil desde 2019

Primeira confirmação oficial no País ocorreu apenas em fevereiro de 2020. Mas estudo aponta que vírus está no Brasil desde novembro de 2019

Estudo foi realizado no Estado do Espírito Santo| Foto: Reuters

Nesta terça-feira, 12, foi divulgada a informação que o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estaria circulando no Brasil desde o fim de novembro de 2019, antes que as autoridades de saúde chinesas informassem a existência do novo vírus à Organização Mundial de Saúde (OMS). 

A descoberta foi divulgada hoje pelo secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes e pelo diretor-geral do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen-ES), Rodrigo Rodrigues.

O diretor-geral do Lacen é um dos sete autores de um artigo publicado na revista científica Plos One sobre os resultados da reanálise de amostras de sangue colhidas a partir de 1º de dezembro de 2019. Inicialmente, os pacientes tinham suspeita de estarem com dengue ou chikungunya.

O estudo começou a ser feito em agosto de 2020, quando a Secretaria estadual de Saúde autorizou a reanálise de mais de 7.300 amostras de sangue que haviam sido colhidas nos oito meses anteriores. O objetivo era verificar, por meio do teste de antígeno, se havia vestígios de infecção pelo novo coronavírus. 

Foram pesquisadas 7.370 amostras, 210 reagiram positivamente para o anticorpo que causa a infecção do novo coronavírus. Dentre essas 210, cerca de 89 também reagiram positivamente para dengue ou chikungunya. “Isto demonstra que essas 210 pessoas eram inicialmente suspeitas de possuir uma arbovirose, mas possuíam também uma infecção por SARS-CoV-2, que correu de forma oculta ou obscurecida por uma doença mais evidente”, explicou Rodrigo Rodrigues.

(Com informações da Agência Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.