Estudo da Unifesp consegue eliminar HIV de células de paciente

Homem de 34 anos foi o único entre cinco pacientes que obteve efeitos positivos. Pesquisa realizada no Brasil é preliminar e ainda não significa a cura para os mais de 38 milhões de soropositivos

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) apresentaram nesta terça-feira, 7, resultados de um estudo que mostrou a remissão de um paciente diagnosticado com HIV em 2012. De acordo com as observações, o paciente não apresenta carga viral há mais de dois anos. Este é o terceiro caso no mundo de cura de soropositivos no mundo.

O paciente é um homem de 34 anos que foi tratado com uma base de terapia antirretroviral reforçada com substâncias e nicotinamida. Mesmo com o tratamento interrompido, após mais de 57 semanas sem o coquetel, as células do paciente e o exame testaram negativo para HIV.

O caso foi apresentado em uma conferência em São Francisco, nos Estados Unidos. Outros quatro pacientes soropositivos receberam o mesmo coquetel, mas não obtiveram os mesmos resultados.

Isso, porque o resultado é preliminar e não pode ser reproduzido. Portanto, não há nenhuma confiança de cura para as mais de 38 milhões de pessoas infectadas em todo mundo. Entretanto, o vírus consegue ser controlado por meio de remédios e, assim, o paciente pode conviver com o HIV sem que haja avanço da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.