Estudo da UFG aponta que número de mortes por Covid-19 em Goiás pode ser cerca de 30% maior do que registrado

Discrepância acontece, entre outros fatores, por causa da demora para que óbitos sejam confirmados e notificados

Foto: Reprodução.

A Universidade Federal de Goiás divulgou um estudo feito por pesquisadores da instituição que apontam que Goiás pode ter cerca de 30% mais óbitos por causa da Covid-19 do que o divulgado anteriormente pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO).

Ao invés de 654 mortes, conforme registrado no último boletim do governo, divulgado na segunda-feira, 6, o Estado já teria em torno de 900 pessoas mortas pela infecção do vírus.

A discrepância acontece, entre outros fatores, por causa da demora para que os óbitos sejam confirmados e notificados.

“O atraso gera sub-notificação no momento.[…] Há óbitos que ocorreram em abril sendo confirmados nos dias de hoje. […] Isso significa que o número de óbitos que já ocorreram é muito maior do que está na secretaria, cerca de 30% maior. É possível que já estejamos em 800, 900 óbitos”, explicou o professor e doutor Thiago Rangel, co-autor do estudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.