Estudo aponta redução de mortalidade em tratamento com dexametasona para Covid-19

Em documento assinado por infectologista Clóvis Arns da Cunha, instituição considera que resultados representam “dia histórico” no tratamento da doença

Em informe da Sociedade Brasileira de Infectologia, assinada pelo presidente Clóvis Arns da Cunha, e publicada nesta terça-feira, 16, foi divulgado que o tratamento farmacológico com dexametasona para Covid-19 se mostrou o primeiro a reduzir a mortalidade dos pacientes.

Segundo a nota, estudo Recovery, da Universidade de Oxford tornou público resultados preliminares com grupo controle que comparou dexametasona com grupo controle com dose de 6mg de dexametasona por via oral ou endovenosa uma vez por dia durante dez dias.

Especialistas perceberam que houve reduzição da mortalidade, ao longo de 28 dias, de 1/3 dos pacientes com Covid-19 em ventilação mecânica. Em pacientes com necessidade de oxigênio e sem ventilação mecânica, a mortalidade caiu em 1/5 dos pacientes.

Já em pacientes sem necessidade de oxigênio não foram percebidas diferenças. Com isso, ficou concluído, seguindo a Sociedade Brasileira de Infectologia, que pacientes com ventilação mecânica e os que precisam de oxigênio fora da UTI devem receber dexametasona via oral ou endovenosa 6mg uma vez ao dia durante dez dias. De acordo com o informe, os resultados representam um “dia histórico no tratamento da Covid-19”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.