Operação R$ 2,80: Estudantes da UFG são presos suspeitos de queimarem ônibus

Três jovens foram presos pela  Polícia Civil  suspeitos de associação criminosa e incitação à violência

Untitled-1

Porta da Draco, no Setor Campinas, esteve movimentada durante esta manhã por conta das prisões | Foto: Thiago Araújo/Jornal Opção

A Polícia Civil (PC) deflagrou na manhã desta sexta-feira (23/5) a operação R$ 2,80, comandada pelo delegado Alexandre Lourenço, da Delegacia Estadual de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (Draco). A ação visou prender líderes do Movimento Estudantil Popular Revolucionário, suspeitos de pregar a desordem e incitar a população a destruir ônibus do transporte público de Goiânia e região metropolitana.

A operação contou com a participação de 25 policiais. Ao todo foi efetuada a prisão de três estudantes entre 18 e 20 anos e a execução de cinco mandados de busca e apreensão. O delegado Tiago Torres disse que foi apreendido um vasto material suspeito, dentre eles bandeiras, cartazes, gases e produtos para a fabricação de coquetel molotov, arma química incendiária, geralmente utilizada em protestos e guerrilhas urbanas. No Brasil, a fabricação e o uso desse artefato configura porte ilegal de arma e a punição varia de três a seis anos de prisão, além de multa. Os agentes investigaram os suspeitos por meio de páginas das redes sociais e pela circulação de panfletos que divulgavam as manifestações.

O último ato na capital ocorreu na segunda feira (21/5). Além desse, outros protestos aconteceram nas últimas semanas contra o aumento da passagem, que desde 3 de maio passou de R$ 2,70 para R$ 2,80, um aumento de 3,07 %. Os manifestantes reivindicam também melhorias no serviço. O protesto mais violento foi no último dia 16, quando o Terminal da Bandeiras, na região Sudoeste, foi alvo de vandalismo. A Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) contabilizou a partir deste dia 104 ônibus danificados.

Para a polícia, o grupo teve participação na manifestação que ocorreu dentro do Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG) em 15 de abril, quando três ônibus foram apedrejados e um queimado. Outra ação atribuída aos estudantes foi a manifestação que aconteceu no Terminal Praça da Bíblica, entre os setores Leste Universitário e Vila Nova, em 8 de maio, quando houve a depredação de mais 15 veículos e o incêndio de um ônibus do Eixo Anhanguera.

A movimentação na Draco, que fica no Setor Campinas, foi intensa até o começo da tarde. A Polícia Militar (PM) e agentes municipais de trânsito ajudavam na segurança do local. Representantes da comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás (OAB-GO) estiveram na delegacia para garantir o processo legal e os direitos individuais dos jovens alvo de mandados de prisão nesta manhã. Para os representantes da OAB-GO, “a princípio, a prisão é desproporcional, pois houve um crime de dano e os estudantes estavam com a prisão preventiva decretada, mas neste caso os suspeitos têm residência fixa e ocupação lícita”.

A polícia não quis divulgar o nome dos estudantes. No entanto, o Jornal Opção Online apurou que os jovens são Heitor Vilela, Ian Caetano e João Marcos. Os pais de Heitor estavam na delegacia. Para o pai, que não quis se identificar, a situação é constrangedora. “Eles chegaram ao meu prédio por volta das seis horas da manhã, acordando toda vizinhança e usando força desproporcional durante a prisão.” A mãe estava apreensiva. Ela disse que hoje é o aniversario de seu filho e que deseja que ele não fique preso. A prisão preventiva tem duração de dez dias e pode ser prorrogada.

O delegado tem dez dias para concluir o inquérito policial. Segundo o delegado responsável pelo caso, Alexandre Lourenço, eles devem ser indiciados por dano ao patrimônio público, associação criminosa e incitação à violência.

 

4 respostas para “Operação R$ 2,80: Estudantes da UFG são presos suspeitos de queimarem ônibus”

  1. Avatar Davi Alberto disse:

    Um absurdo a criminalização dos movimentos sociais em pleno estado democrático. Esses estudantes são presos políticos!

  2. Avatar Cindy Karol disse:

    Lamentável ler isso e saber que tem gente que acha que a ditadura já acabou.
    Jovens… Estudantes em busca de melhorias para toda a população, fazendo por nós o que não podemos fazer por cargas horarias… e são criminalizados desta forma. Pra quem acha que os atos são de vandalismo é porque são burgueses que não veem o vandalismo nas escolas hospitais etc etc só cegos e hipócritas não veem a situação do nosso pais e ainda acham muito os atos de nossos jovens.
    O que parece que nunca vai acontecer é uma melhoria no nosso pais onde o rico fica mais rico e o pobre…. já sabemos. E o pior é que até o pobre acha errado lutar pelos seus direitos. Na Venezuela todo cidadão sabe seus direitos de acordo com a instituição, por isso quando militares quiseram dar um golpe toda a população conseguiu se juntar e reverter o caso. Já aqui no Brasil, poucos sabem o que é lutar, o que é liberdade de expressão !

    • Avatar Maria disse:

      Olha a luta de voces jovens e uma coisa muito saudavel, porem deveriam ser usado a inteligencia e não a força, o pessoal que derrubou a ditatura são os mesmos que perseguem voces hoje, isso quer dizer que não adianta usar a força, tem que usar a inteligencia, e acredito que voces são muito inteligentes. Com paz a adesão ao movimento é maior, porque já ficou provado na ditadura que a força não resolve, porque quando o poder é tomado a força a violencia, os roubos as falcatruas continuam. Onde esta Jose Dirceu, Dilma, Lula, Jose Jenuino, etc. todos foram presos politicos e hoje? Voces acham que eles são o que? Estudem mudem as leis façam a diferença, tornen-se politicos honestos é disso que o Brasil precisa. Façam movimentos pacificos promovendo isso. Tenho certeza que voces são capazes

    • Avatar Maria disse:

      Nao sou contra os movimentos passivos, porque quem esta no poder hoje sao os que participaram das lutas armadas na ditadura, estudantes promovam a paz use a inteligencia para mudar as leis. Voces são capazes atraves de uma eleição justa procure em cada um de voces do que voces são capazes, e se tornem juizes, promotores, governadores, presidente da republica e tantas outras profissões que podem fazer a diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.