Estudante de Economia de Goiás é selecionado para encontro com o papa na Itália

O evento, a ser realizado em novembro deste ano, contará com a presença de intelectuais e jovens economistas do mundo todo com o objetivo de debater e traçar um modelo de economia sustentável 

Marcos Antônio Silva é formando em Economia pela UFG e presidente da Feneco / Foto: Arquivo pessoal

O formando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Marcos Antônio da Silva, de 29 anos, já marca no calendário os dias restantes para fazer as malas. Isso porque o jovem, que também preside a Federação Nacional dos Estudantes de Economia (Feneco), é um dos selecionados para ir à Itália num encontro com o papa Francisco, onde será debatido um novo modelo de economia sustentável e inclusiva para os mais vulneráveis.

Batizado de Economia de Francisco, em referência a São Francisco de Assis, o encontro global com o líder máximo da Igreja Católica está previsto para ocorrer em novembro deste ano, na cidade italiana de Assis, e será dividido em eixos temáticos, contando com a presença de intelectuais, jovens economistas e estudantes de Economia de 115 países.

A intenção do encontro, segundo o próprio Marcos Antônio, é levantar possibilidades e propostas num debate acerca de um modelo de economia mais inclusivo e democrático para aqueles considerados vulneráveis socialmente.

“Vez ou outra o papa Francisco tem publicado algo sobre uma economia mais inclusiva, mais sustentável. Então ele idealizou esse encontro global onde a ideia dele é discutir uma nova economia para o mundo”, explica Marcos.

Projeto social e encontro com ganhadores do Nobel

O estudante de Economia da UFG é um dos líderes do projeto social Somos Crisálidas, voltado para o combate à extrema pobreza e redução da vulnerabilidade social em Goiás. Ele conta que se inscreveu em novembro do ano passado para o encontro com o papa Francisco, e em dezembro teve a surpresa.

“Quando chegou o convite para o encontro, nem tinha indícios do coronavírus, para você ver como o papa estava certo em sua reflexão!”, relata Marcos. “No processo de seleção, nós tivemos que fazer a inscrição e falar sobre o desejo de participar desse encontro, além de contar nossa história e qual a contribuição que poderíamos dar”.

Para Marcos Antônio, encontrar o papa Francisco para debater uma nova economia é uma oportunidade única / Foto: Arquivo pessoal

Para Marcos Antônio, o encontro, que estava inicialmente previsto para ser realizado em março, mas que, devido à pandemia, precisou ser remarcado para novembro, é uma oportunidade inigualável, e ele não esconde a empolgação pelo que o aguarda.

“Isso é extraordinário! Eu estou muito animado, muito feliz com essa oportunidade por duas coisas: a primeira é poder ir para um ambiente onde estarão um Nobel da Economia, que é o Joseph Stiglitz, e um Nobel da Paz que é o Muhammad Yunus. E a outra coisa é de ir para esse evento não só como ouvinte, mas como participante. Se fosse só para ouvir, já seria uma grande coisa, mas nós vamos sabendo que temos uma contribuição para oferecer”, comemora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.