“Estamos no caminho certo”, diz Raquel Teixeira sobre mudanças no Ensino Médio

Mudanças são discutidas desde 2012 e visam melhorar a atratividade da escola para os adolescentes com idade entre 15 e 17 anos

Dirigente da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira participou do lançamento da reforma do Ensino Médio proposta pelo Ministério da Educação (MEC) na última quinta-feira (22/9). Essa discussão era considerada por Raquel a “pauta mais importante para a Educação”.

“Tenho expectativa positiva e confiança total de que estamos no caminho certo. O governo optou por fazer uma medida provisória devido à agilidade. A nossa juventude não pode esperar mais. A alteração curricular e flexibilização das disciplinas cursadas são assuntos que estamos discutindo há anos. Como em todo o Brasil, em Goiás vamos expandir o novo modelo de forma gradual”, adiantou a secretária.

As mudanças começaram a ser discutidas por especialistas e pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) em 2012 e visam melhorar a atratividade para os adolescentes com idade entre 15 e 17 anos, público que soma 1,7 milhão fora das salas de aula.

A nova proposta visa empoderar o aluno para que este construa seu projeto de vida. Para atender a esta nova realidade, os estudantes vão cumprir objetivos de aprendizagem previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ainda optar por cinco “trilhas” possíveis: linguagem, matemática, ciências sociais e humanas, ciências da natureza e formação técnica e profissional.

Os estados terão liberdade para formatar o modelo de Ensino Médio e a carga horária vai passar de 800 para 1.400 horas/anuais. Isso está alinhado ao objetivo de ampliar a educação integral, conforme afirmou o ministro da Educação, Mendonça Filho.

Qualidade x desigualdade

A secretária acredita que o ensino de qualidade é uma forma de minimizar as desigualdades sociais. No Brasil, apenas 18% dos jovens de 18 a 24 anos ingressam no Ensino Médio. Ela classificou como “fantástica” a reunião da quinta-feira.

“O mundo educacional estava presente. Alunos de Pernambuco, Amazonas e Goiás representaram os colegas. E ainda temos muito orgulho do Wisley (Pereira), que preparou todo material de suporte”, disse em referência ao coordenador nacional do Ensino Médio que foi superintendente de Ensino Médio da Seduce.

Em seu discurso, o ministro da Educação ressaltou que o objetivo das alterações é melhorar a qualidade da educação e que as medidas estão sendo colocadas de maneira democrática. “Nós precisamos ter coragem de mudar, e essa não é uma mudança imposta, é uma mudança discutida com especialistas e com o Consed”, argumentou Filho.

O presidente Michel Temer, que também participou da cerimônia, destacou que as medidas contribuirão para o “desenvolvimento sustentável”. As mudanças estão sendo propostas como Medida Provisória (MP), mas parte das alterações serão implementadas a partir de 2017. (Com informações da Comunicação Setorial da Seduce)

Deixe um comentário