Ministro da Educação, Milton Ribeiro, participou da solenidade de inauguração do novo Hospital das Clínicas da UFG. “Em contas redondas teremos um custeio de aproximadamente R$ 300 milhões por ano para este hospital, o que fazemos com muita tranquilidade”, disse

Ministro da Educação, Milton Ribeiro, participa de solenidade de inauguração do Hospital das Clínicas da UFG / Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, participa, na manhã desta segunda-feira, 14, da solenidade de inauguração do novo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC-UFG). A entrega do hospital acontece durante as comemorações dos 60 anos da Universidade.

A inauguração do novo edifício, que tem 20 andares, encerra uma espera de 18 anos e vai aumentar a rede de atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Goiás.

[relacionadas artigos=”301745″]

“Em contas redondas teremos um custeio de aproximadamente R$ 300 milhões por ano para este hospital, o que fazemos com muita tranquilidade. É uma unidade somente SUS, atendendo a população. Estamos honrando aquilo que os parlamentares do passado fizeram ao dedicarem suas emendas para cuidar do hospital da nossa Universidade aqui de Goiás”, declarou o ministro.

Em seu discurso, o ministro disse que se deparou com uma realidade bem complexa ao assumir o MEC. “Não imaginava o quanto temos em termos de diversidade de atuação, do maternal à pós-graduação. Também não imaginei que ia administrar 50 hospitais”, confessou.

O titular do MEC lembrou que sua pasta administra mais hospitais que o Ministério da Saúde. “Todos pelo SUS e ligados ao atendimento da população brasileira. Também não podia imaginar lidar com tantos números, um orçamento de mais de R$ 144 bilhões”, destacou ao lembrar que o país tem 69 universidades federais.

Milton Ribeiro falou ainda sobre a dificuldade em distribuir recursos em um momento de pandemia. Disse também que a arrecadação caiu por conta dos lockdowns e destacou a “sensibilidade do presidente Jair Bolsonaro”.

“O general sempre me fala que cada leito é R$ 1 milhão então quando falamos em 600 leitos são valores consideráveis, mas que voltam pra população. E sei que essa unidade será muito bem administrada”, disse. Por fim, citou um trecho da Bíblia sobre o trabalho de Jesus. “Ensinava e curava as pessoas. Peço que esse seja o lema desse hospital, ensinar e curar as pessoas”, encerrou

A deputada Flávia Morais (PDT) falou em nome da bancada goiana e destacou que os parlamentares destinaram R$ 240 milhões ao longo de quase duas décadas de obra.

“O desafio de manter essa unidade em funcionamento é muito grande”, acentuou. Tenho muito orgulho de fazer parte da bancada que é responsável por recursos para obras importantes e estruturantes em todo o Estado”, completou.

A deputada federal adiantou que no próximo ano a Universidade Federal de Goiás (UFG) será contemplada por mais recursos de emendas impositiva.

O Hospital da Clinicas terá capacidade total para 600 leitos de internação e 76 de UTI. A unidade será um dos maiores centros de saúde dentro de uma universidade no País.

A obra contou com investimentos de aproximadamente R$ 150 milhões, dos quais R$ 33 milhões gastos com a aquisição de equipamentos. Do valor total, mais de 90% dos recursos vieram de emendas parlamentares.