“Estamos fazendo um esforço sobre-humano para manter as contas em dia”, diz Caiado

Gestão intensifica combate à sonegação fiscal para dirimir queda na arrecadação em meio à pandemia

O governador Ronaldo Caiado e a secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt, falaram sobre a queda na arrecadação estadual, durante live transmitida pela Agência Brasil Central (ABC), nesta segunda-feira, 8. “Nós estamos fazendo um esforço sobre-humano para manter as contas em dia”, declarou Caiado.

Na transmissão, a secretária da Economia destacou que, apesar das dificuldades financeiras geradas pela pandemia, o governo colocou o cidadão em primeiro lugar: adiou o pagamento do IPVA, do ICMS, do Simples, isentou consumidores de energia elétrica do baixo consumo e garantiu abastecimento de água por parte da Saneago aos inadimplentes.

“Nosso foco é o bem estar do cidadão goiano. Nós estamos muito focados na política social, investindo pesado na área da saúde, infraestrutura e emprestando dinheiro para os pequenos empresários”, declarou Caiado, lembrando também da distribuição de cestas básicas realizada pela gestão estadual e que beneficiou milhares de famílias goianas em situação de vulnerabilidade nos 246 municípios goianos.

A secretária ressaltou o trabalho desenvolvido no fundo Protege, para dar transparência à sociedade das receitas e despesas da gestão estadual, e frisou a importância do novo programa de incentivos fiscais do governo estadual, o ProGoiás, criado para desburocratizar e dar celeridade à administração pública.

Temos de otimizar esse dinheiro, pensando que ele não é nosso, é para fazer política pública

“O Estado precisa ser desburocratizado, atender ao público, e ter transparência ativa, porque é do dinheiro do contribuinte que a gente está falando. Temos de otimizar esse dinheiro, pensando que ele não é nosso, é para fazer política pública”, frisou Cristiane Schmidt.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Economia, de janeiro a março, Goiás arrecadou R$ 460 milhões a mais que o mesmo período do ano passado. Índice 8% maior que 2019. Mas, com o início da pandemia, de abril a maio, esse número caiu R$ 750 milhões. “A queda em abril e maio representou 18%. Apesar disso, temos mecanismos para amenizar os efeitos da queda na arrecadação”, declarou Schmidt. 

Entre as medidas adotadas pelo Estado para amenizar a queda na receita o governo tem investido pesado no combate à sonegação fiscal e à concorrência desleal. Os auditores da Receita Estadual têm atuado fortemente nesse período de pandemia com o intuito de combater essas irregularidades, que causam prejuízos a toda a sociedade.

Além disso, foi intensificada a fiscalização nas rodovias de todo o Estado apreendendo mercadoria com irregularidade fiscal, e as operações planejadas também continuam. As auditorias de empresas foram incrementadas com o deslocamento de pessoal de atividades afetadas pela quarentena. Assim, foi possível responder a grande parte dos processos remetidos pelo Conselho Administrativo Tributário (CAT) em diligências para Receita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.