Alheio as provocações, o secretário de Governo do Estado de Goiás, prefere destacar o lado positivo e trabalhar para reverter os estragos deixados por uma gestão de 20 anos de atraso

Secretário de Governo, Ernesto Roller | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O secretário de Governo Ernesto Roller definiu o governo de Ronaldo Caiado como o mais humano que Goiás já teve, pautado na transparência e correção. Ele argumenta que essas são as ferramentas que Caiado e equipe têm usado para combater as mazelas deixadas por Marconi Perillo. Em entrevista ao Jornal Opção Roller diz que o PSDB aplicou durante 20 anos, a mitomania em Goiás, um tipo de mania de grandeza com coisas que não existiam e o resultado disso é um buraco gigantesco.

O secretário Ernesto Roller explica que as dívidas são tantas que o passivo contra o poder público o impossibilita de servir o cidadão, pois precisa honrar os compromissos ao invés de investir. Porém, Roller diz que não se pode dar crédito a um cidadão com a história de Marconi Perillo. “Em 1998, apostamos muito que ele faria diferente, tinha nossas melhores expectativas, mas ele levou Goiás para o lixo, envergonhou nossa história”, relatou.

Mas o secretário prefere ressaltar o lado positivo da história, sem comparar, diz que este governo está fazendo história interiorizando a saúde, construindo clínicas e uti’s em cidades como Formosa, onde é a base do secretário e Posse, extremo nordeste goiano. “Estamos reginalizando a dignidade. Sabemos que muitas pessoas dão mais valor as obras físicas, mas nem sempre essas obras são as mais importantes”, afirmou.

Eleição

Sobre a cidade em que foi prefeito, Ernesto Roller diz que a população de Formosa viu que ele no governo estadual poderia contribuir muito mais que na prefeitura, apoiou sua ida e trabalho na Secretaria e elegeu o prefeito Gustavo Marques (Podemos), seu aliado. “O povo de Formosa abraçou o governador Ronaldo Caiado e viu que juntos podemos ter representações em todas as esferas administrativas”, definiu.

Quanto a eleição de Goiânia, ele argumenta que foi a eleição da compaixão. “Respeito a opinião da população da Capital, que escolheu Maguito, muito mais pelo seu estado do que pelo projeto político. Mas vejo que o MDB não vai longe e sofre um processo de involução”, refletiu. Roller afirma que o presidente estadual da sigla precisa amadurecer e ouvir mais. Esperançoso, Roller afirma que tudo tem cura e que espera ver a liderança do MDB amadurecida e democrática.