“Estamos com medo, mas temos que levantar a cabeça”, diz goiana que mora em Paris

Denise Rodrigues mora na rua do bar La Belle Équipe, alvo de um dos ataques. Goianiense garante que franceses quererem mostrar força e união

Denise mora em Paria há sete anos e diz que não voltaria para o Brasil, mesmo com ataques sofridos pela França | Foto: divulgação/ Facebook

Denise mora em Paria há sete anos e diz que não voltaria para o Brasil, mesmo com ataques sofridos pela França | Foto: divulgação/ Facebook

A jornalista goianiense Denise Rodrigues, 30 anos, contou ao Jornal Opção sobre o clima triste que tomou Paris neste sábado (14), após seis ataques terroristas na capital francesa na última sexta-feira (13). Denise mora há sete anos na França — onde fez mestrado e atua como assessora de imprensa — exatamente na rua do bar La Belle Équipe, local onde 18 pessoas morreram após um ataque.

A jovem explica que está com medo, assim como todos que moram em Paris. Entretanto, frisa a necessidade de não se deixarem abater e mostrar que estão fortes. “Os terroristas querem que tenhamos medo, que não saiamos mais de casa. Então, temos que nos unir. E os franceses tem muito essa mentalidade: não podemos ser fracos, não podemos ter medo. Juntos somos fortes.”

A jovem garante que não pensa em voltar para o Brasil, mesmo sendo este o segundo ataque na cidade em 2015. Conforme Denise, é necessário não generalizar, tampouco tomar grandes decisões na vida por causa de atentados terroristas. “Eu estou convicta de que a França vai fazer de tudo para lutar contra o terrorismo e continuar dando segurança aos seus cidadãos”, disse.

Segundo a goianiense, a vida tenta seguir seu ritmo normal. Muitos estão indo ao bar La Belle Équipe para colocar flores e prestar homenagens . “Está todo mundo muito triste, chocado e sem entender”, disse Denise.

A jornalista publicou no perfil do Facebook que no momento dos atentados estava na rua, sem bateria no celular. “Que ódio! De novo e no meu bairro”, disse, uma vez que o jornal Charlie Hebdo, que também sofreu ataque este ano, é ao lado da casa de Denise. Também pelo Facebook, a jornalista disse: “Meu coração dói ao saber que no bar onde fui várias vezes, 18 morreram.”

Alguns comércios, de acordo com a goiana, estão fechados e outros abertos, com a população tentando voltar à normalidade e a polícia por todos os lados. Assim como os franceses e moradores de Paris, Denise afirma que não consegue entender o que aconteceu.

Paris foi alvo de seis ataques terroristas simultâneos na última sexta-feira (13). Até o momento, 129 pessoas morreram, 352 estão feridas, sendo 99 em estado grave. O grupo radical Estado Islâmico já assumiu a autoria dos ataques.

Confira o vídeo enviado por Denise:

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.