“Estamos atordoados com a proposta do Caiado”, diz presidente da Adial

A propostas prevê uma redução de incentivos fiscais, com impacto de R$ 1 bilhão por ano, a todos os segmentos envolvidos

Otávio Lage, presidente da Adial | Foto: reprodução

O presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial), Otavio Lage afirmou que a categoria está atordoada com as propostas feitas pelo governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) sobre incentivos fiscais, em reunião que aconteceu na manhã desta quinta-feira, (22/11).

De acordo com Otávio, o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) propôs  uma redução de incentivos fiscais, com impacto de R$ 1 bilhão por ano, a todos os segmentos envolvidos. “A proposta também quer que das empresas que fazem parte dos programas Produzir e Fomentar seja cobrada uma alíquota de 15% que será repassado ao Programa Protege. Coisa que não existia antes, apenas quem tinha crédito outorgado, fazia repasses ao Protege”, explicou.

Otávio disse que os empresários estão reunidos para poder apresentar uma contraproposta. “De toda forma, estamos atordoados com essa proposta, que de fato, vai ser muito ruim para o segmento”, disse sem dar mais detalhes do desdobramento.

O presidente acredita que nos próximos dias terá uma contraproposta a apresentar ao Caiado.

Reunião

Na casa do coordenador da equipe de transição de governo, Wilder Morais (DEM), estiveram presentes o presidente da Adial, Otávio Lage, técnicos da transição e cerca de 30 empresários de diversos segmentos. Além deles, o deputado estadual Lívio Luciano (PODE), que é relator do projeto de lei da convalidação dos incentivos, da Lei Orçamentária Anual (LOA) e aliado de Caiado também participou da conversa.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.