A propostas prevê uma redução de incentivos fiscais, com impacto de R$ 1 bilhão por ano, a todos os segmentos envolvidos

Otávio Lage, presidente da Adial | Foto: reprodução

O presidente da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial), Otavio Lage afirmou que a categoria está atordoada com as propostas feitas pelo governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) sobre incentivos fiscais, em reunião que aconteceu na manhã desta quinta-feira, (22/11).

De acordo com Otávio, o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) propôs  uma redução de incentivos fiscais, com impacto de R$ 1 bilhão por ano, a todos os segmentos envolvidos. “A proposta também quer que das empresas que fazem parte dos programas Produzir e Fomentar seja cobrada uma alíquota de 15% que será repassado ao Programa Protege. Coisa que não existia antes, apenas quem tinha crédito outorgado, fazia repasses ao Protege”, explicou.

[relacionadas artigos=”149457″]

Otávio disse que os empresários estão reunidos para poder apresentar uma contraproposta. “De toda forma, estamos atordoados com essa proposta, que de fato, vai ser muito ruim para o segmento”, disse sem dar mais detalhes do desdobramento.

O presidente acredita que nos próximos dias terá uma contraproposta a apresentar ao Caiado.

Reunião

Na casa do coordenador da equipe de transição de governo, Wilder Morais (DEM), estiveram presentes o presidente da Adial, Otávio Lage, técnicos da transição e cerca de 30 empresários de diversos segmentos. Além deles, o deputado estadual Lívio Luciano (PODE), que é relator do projeto de lei da convalidação dos incentivos, da Lei Orçamentária Anual (LOA) e aliado de Caiado também participou da conversa.