“Estados e municípios não deverão ser inclusos no segundo turno”, afirma Major Vitor Hugo sobre reforma

Para deputado, questões políticas estabelecem uma grande dificuldade para aprovação da reinclusão na Câmara 

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

O deputado federal e líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL), falou ao Jornal Opção sobre a segunda votação da reforma da Previdência na Câmara. Para ele, a tendência é que a votação tenha resultado semelhante à do primeiro turno. Em relação aos destaques, o parlamentar acha pouco provável que haja a reinclusão de Estados e municípios.

“Até porque as possibilidades regimentais são muito menores, uma vez que o Regimento da Casa só prevê os destaques supressivos acerca do texto que foi aprovado em primeira votação. Logo, Estados e municípios não deverão ser inclusos no segundo turno”, afirma o deputado.

Já no Senado Federal, Major Vitor Hugo acredita que se houver um empenho grande dos governadores – em especial do Nordeste –, pode ser que haja a reinclusão, o que fará com que a proposta retorne à Câmara para ser votada novamente. “E hoje, aqui [Câmara], há uma grande dificuldade de ser aprovada essa reinclusão em razão de questões políticas. De modo especial, em meio aos deputados do NE, a tendência é que não votem com receio do ônus político”, explica.

“Precisamos ressaltar também que, com a retirada dos estados e municípios, a economia gerada em 10 anos não será desidratada, mesmo sabendo que no médio e longo prazo o déficit dessas unidades da Federação retornará à União”, diz Vitor Hugo.

“Mas confiamos na liderança dos governadores e prefeitos, bem como na atuação dos deputados estaduais e na responsabilidade dos vereadores onde, em um País federativo, e com dimensões continentais como o nosso, possam resolver os problemas de acordo com a realidade regional e local”, complementa o líder do governo na Câmara.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.