Estado de saúde piora e gêmeas siamesas voltam a respirar com ajuda de aparelhos

Crianças seguem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Materno Infantil (HMI) e estado de saúde é grave

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

As gêmeas siamesas que nasceram em Goiânia na semana passada voltaram a respirar com o auxílio de oxigenação suplementar devido ao agravamento das funções respiratórias e cardíacas. As informações são do Hospital Materno Infantil (HMI), onde nesta quarta-feira (17/12) as irmãs realizarão novos exames para identificar a razão da piora do estado de saúde.

No último dia 12, exames feitos pelo cirurgião pediátrico Zacharias Calil comprovaram que as irmãs Anny Garielly e Anny Beattriz são unidas pelo tórax e abdômen, e compartilham somente o fígado.

Inicialmente, a suspeita era de que as gêmeas compartilhassem o mesmo coração. “Embora os corações estejam bastante próximos, este fato significa a possibilidade de separação das duas”, explicou Calil ao Jornal Opção Online.

As meninas são filhas de Jeiel dos Santos, de 25 anos, e Iara Pereira Dourado, de 24. O casal é da Bahia e veio para Goiás em busca de tratamento médico. “Estamos na casa da minha irmã. Viemos somente por causa de minhas filhas”, disse o pai.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.