Para o senador eleito, a nova Mesa Diretora terá coragem de dizer não ao prefeito e atuará com independência

Jorge Kajuru, senador eleito por Goiás | Foto: Fernando Leite

Após eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia, que elegeu Romário Policarpo (PTC) e o grupo de oposição ao prefeito Iriz Rezende (MDB), derrotando-o, o vereador Jorge Kajuru (PRP) avaliou a gestão atual e afirmou que a Casa viverá um novo momento com independência e “coragem de dizer não ao prefeito”.

“Nós vivemos nesses primeiros dois anos aqui na Casa uma situação triste, porque a Câmara era um puxadinho do Paço municipal, com um presidente capacho e soberbo. O presidente, vereador Andrey Azeredo (MDB), tratava mal os vereadores e só dizia sim ao prefeito. Essa nova mesa diretora terá coragem de dizer não ao Iris. Isso não é enfrentamento ao prefeito, é independência”, declarou Kajuru.

Para o vereador, Andrey foi submisso durante todo o seu mandato.  Kajuru avaliou a devolução de R$17 milhões à prefeitura de forma negativa. “Ele deveria ter solicitado a destinação desse dinheiro para algo, como a Educação que está um caos em Goiânia ou para a Saúde que nem preciso dizer sobre o caos dela no município”, explicou ao questionar se o dinheiro poderia ter ido para a corrupção ou para campanha da Dona Iris: “todos nós sabemos que foi gasto uma fortuna para ela ser eleita”.

“O Iris está neste momento triste e revoltado. Assim como está o Andrey Azeredo. Mas eu francamente quero que os dois se lixem e se danem. Quero que eles terminem abraçados, ou seja, enterrados. Desejo aos dois o báratro, que significa precipício, já que ambos não leram nem o gibi e nem sabem o que significa isso”, finalizou Jorge kajuru.