Espinha: especialista diz tudo o que você precisa saber para uma pele sem acne

Dermatologista Iris Florio explica que cuidados variam de caso a caso, e envolvem desde o uso diário de um sabonete especial até o uso de antibióticos

Foto: Dermatologista Iris Florio/ Divulgação

Medo de qualquer adolescente, as espinhas podem ser provocadas por vários motivos, como aumento de oleosidade, distúrbios hormonais, acúmulo de bactérias, inflamações, entre outros fatores. Os cravos, por sua vez, são acúmulos de sebo em alguns poros devido as células mortas. Os dois são chamados de acne e envolvem diversos mitos e inseguranças.

Pensando nisso, o Jornal Opção ouviu a dermatologista Iris Florio, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia , que explica os tratamentos, sintomas e diagnóstico da acne. Antes de qualquer informação, ela adianta o que todo mundo quer saber: nunca se deve espremer espinhas. Confira:

Riscos e sintomas

De acordo com a especialista, não há nenhum risco em possuir espinhas, desde que você não as esprema. “Esse ato pode aumentar ainda mais o quadro de inflamação, pode deixar marcas na pele, além de contaminar o local as bactérias das unhas e dedos”, explica.

“O aumento da oleosidade na pele facial é um sintoma que antecede o aumento das espinhas. É importante acompanhar com o seu dermatologista o porquê desse aumento e usar produtos para regularizar e tratar a pele”, diz sobre os sintomas.

Segundo a médica, é importante também ficar atento a outras doenças que têm a acne como sintoma, como o ovário policístico e as disfunções hormonais.

Tratamento

Existem vários tipos de acnes, algumas com uma maior inflamação, outras mais moderadas. Iris diz que o tratamento varia de caso a caso, desde o uso diário de um sabonete com enxofre e ácido salicílico, até o uso de antibióticos. Por isso, deve ser sempre recomendado por um especialista.

Prevenção e diagnóstico

A prevenção está no dia a dia. “Comece com uma higiene regrada com uma limpeza profunda e produtos adequados para cada tipo de pele. Evite produtos que aumentem a oleosidade e tome cuidado com a alimentação, também”, diz a especialista.

O diagnóstico sobre a gravidade do quadro, no entanto, é feito por meio de uma análise do histórico do paciente. Dessa forma, são eliminadas outras doenças que podem estar causando aquelas acnes para, só então, se elaborar um tratamento para cada caso.

Mitos e verdades

O consumo abusivo de alimentos gordurosos podem, sim, agravar o quadro de inflamação, isso porque esses alimentos podem aumentar a oleosidade da pele, um dos principais fatores para o surgimento das espinhas.

Um mito muito divulgado, porém, não tem embasamento. “Não é possível estabelecer nenhuma relação entre a masturbação e a acne”, finaliza a médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.