Especialista dá 5 dicas para prevenção do câncer de próstata

De acordo com urologista Carlos Watanabe, principal ponto é o combate ao preconceito

Monumentos são iluminados em apoio à campanha Novembro Azul para chamar a atenção dos homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata | Foto: Agência Brasil

O câncer de próstata é o foco de mais uma edição da campanha Novembro Azul, organizada pela Sociedade Brasileira de Urologia. Este câncer é o tipo mais comum entre os homens e causa da morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. Somente entre 2016 e 2017, mais de 61 mil novos casos foram registrados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Com o intuito de estimular a população masculina a superar a vergonha em relação ao assunto e cuidar da saúde, a campanha realiza diversas ações ao longo do mês.

Em entrevista ao Jornal Opção, o médico Carlos Watanabe, urologista da Aliança Instituto de Oncologia, lista 5 dicas para a prevenção da doença. Confira:

Combate ao preconceito

“Existe muito preconceito, e esse é o principal ponto que tem que se combater. Tem que lutar contra o preconceito”, inicia o médico. Segundo pontua o especialista,  com o acesso à informação, não há desculpas para que os pacientes não procurem atendimento o quanto antes.

“Para alertar, gosto de contar a história de um paciente que chegou ao meu consultório com 72 anos, já com dor nos ossos. Quando fomos avaliar, a doença tinha espalhado pelos ossos, então ele viveu por mais 3 meses apenas”, declarou, dizendo que, sem medo por causa do preconceito, o paciente poderia ter buscado ajuda antes e salvado a própria vida.

Alimentação saudável

Hábitos de vida saudável para manter o peso adequado ajudam na prevenção do câncer de próstata, assim como de várias outras doenças. “Alimentação com pouca gordura e uma dieta equilibrada são fatores preventivos”, alertou o especialista.

Exercícios físicos regulares

De acordo com Carlos Watanabe, já foi comprovado que a obesidade, acompanhada de uma alimentação pouco saudável e com muita ingestão de gordura, é um fato de risco para o possível desenvolvimento do câncer de próstata.

Não ao cigarro

O tabagismo é outro agravante para o câncer de próstata, assim como de outras doenças. “O cigarro não faz bem a ninguém”, reforçou.

De olho na idade e nos sintomas

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, a partir dos 50 anos os pacientes que não apresentam fatores de risco devem fazer uma primeira avaliação, já que o câncer de próstata é uma doença sem sintomas na fase inicial.

Para investigar o câncer de próstata são feitos dois exames: o de toque retal, que avalia o tamanho, a forma e a textura da próstata, e o Antígeno Prostático Específico (PSD). Para confirmar uma suspeita sinalizada pelos dois testes, é feita uma biópsia, que consiste em analisar pequenos pedaços da glândula.

Quem tiver casos de câncer na família deve começar os exames a partir dos 45 anos. Os sintomas urinários, como dificuldade de urinar ou sangue na urina, são comuns a outras doenças urinárias e geralmente aparecem no estágio avançado da doença. “Por isso, é bom fazer exames regulares”, reforça Watanabe.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Regis Xnaldo

Para vencer o preconceito é preciso atacar a lógica do lucro nesses exames. Fazer o exame de sangue PSD antes do exame de toque. É mais aceitável para os resistentes tirar sangue, coisa que sempre se faz. Se o exame de sangue mostrar a suspeita e deixar claro que o exame de toque é extremamente necessário, ninguém vai fugir com a desculpa de proteger a masculinidade vendo que há um fato registrado em números dizendo que a saúde está em situação crítica. Mas os médicos querem evitar o exame de sangue para não perder pontos com os planos de saúde… Leia mais