Escolas de Goiânia terão que fornecer alimentos livres de glúten

Projeto que foi aprovado nesta quarta-feira (28) aguarda sanção ou veto do prefeito

Aprovado nesta quarta-feira (28/3) em segunda e última votação, projeto torna obrigatório as cantinas e lanchonetes que funcionam nas escolas da rede particular de ensino a fornecerem pelo menos uma opção de alimentos livres de glúten.

A proposta do vereador Anderson Sales Bokão (PSDC) foi aprovada por unanimidade  e será agora encaminhado ao prefeito Iris Rezende (MDB), para sanção ou veto.

O estabelecimento que desobedecer as disposições legais será multado em R$ 500,00, valor que pode ser dobrado em caso de reincidência. A multa, porém, será atualizada anualmente com base na variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Ao justificar sua propositura, Anderson Bokão defende que facilitar o acesso dos portadores de doença celíaca à alimentação segura é um necessidade social e médica.

“A doença celíaca é autoimune e causada pela intolerância ao glúten. No Brasil, por exemplo, ela atinge 1 pessoa entre 681, o que confirma sua condição comum no País. Ademais, a ingestão de alimentos com glúten pelos portadores da doença celíaca pode causar anemia, artrites, constipação intestinal refratária, esterilidade, aborto, úlcera, perda de peso, miopatia, dentre outras”, garantiu.

O glúten é uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados, como pães, bolos, biscoitos, cervejas e doces.

Deixe um comentário