Envolvidos na Operação Multigrana são acionados por improbidade

São réus o vereador afastado Zander Fábio; o ex-presidente da Agetul, Dário Paiva Neto; o ex-diretor financeiro do Mutirama, Geraldo Magela, e a servidora Larissa Carneiro 

A promotora de Justiça Leila Maria de Oliveira propôs nesta terça-feira (10/10) ação de improbidade administrativa contra envolvidos nos fatos apurados no âmbito da Operação Multigrana, deflagrada pelo Ministério Público de Goiás em maio deste ano, que desarticulou um esquema de desvio de dinheiro de ingressos dos Parques Mutirama e Zoológico.

São réus na ação de improbidade o vereador afastado de Goiânia Zander Fábio Alves da Costa; o ex-presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Dário Paiva Neto; o ex-diretor financeiro do Mutirama, Geraldo Magela, e a servidora Larissa Carneiro de Oliveira, à época responsável por todo o procedimento de contabilização dos ingressos vendidos.

Em caráter de urgência, a promotora pede que seja determinada a suspensão do exercício do mandato parlamentar do vereador Zander Fábio, além do bloqueio de bens dos réus. O vereador já foi afastado do cargo, mas na ação penal.

Conforme apontado em estudo feito pela Superintendência de Planejamento e Gestão do Ministério Público, durante o período em que Dário Paiva geriu a Agetul foram desviados, no mínimo, R$ 2.181.458,10. De acordo com a promotora, esse montante deve ser ressarcido ao erário. Assim, é requerido o bloqueio nesse valor total, de forma solidária, na seguinte proporção, tendo em vista o quanto cada um se beneficiou na prática dos atos de improbidade: Larissa Carneiro (R$ 30 mil), Dário Paiva (R$ 717.152,70) Zander Fábio (R$ 717.152,70) e Geraldo Magela (R$ 717.152,70).

Esta ação apura especificamente os desvios relativos ao Parque Mutirama, tendo em vista que já estavam em curso procedimentos referentes ao funcionamento do parque na promotoria. No mérito da ação é pedida a condenação dos quatro réus.

Deixe um comentário