Entrega do relatório da CEI das Obras Paradas atrasa e vereador culpa prefeitura

Eduardo Prado diz que irá concluir o material apenas no final deste mês de setembro, pois a gestão municipal protelou a entrega de vários documentos importantes

Vereador Delegado Eduardo Prado (PV), relator da CEI das obras paradas | Foto: Divulgação / Agência Câmara

Depois de muitos impasses e reformulações a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga a situação das obras paradas em Goiânia deve apresentar o relatório de conclusão apenas no final do mês de setembro.

Segundo o relator do grupo, o vereador Eduardo Prado (PV), o material deveria ser entregue antes, mas ele atribuiu o atraso à falta de comprometimento da prefeitura e da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), que não teriam entregue documentos importantes para a investigação das construções.

“Além do atraso dos documentos, que tem prejudicado muito o andamento da CEI e impedido que a transparência seja repassada aos cidadãos, ainda estou aguardando o parecer do Tribunal de Contas do Distrito Federal sobre documentos irregulares”, declarou o vereador que está analisando os documentos que já possui.

Eduardo afirmou, também, que vai requerer ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) que faça uma interpelação judicial por meio da CEI para que a prefeitura entregue os documentos que faltam sob pena de crime de responsabilidade fiscal. “Vou acionar a Dercap [Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública] para nos ajudar”, completou.

O parlamentar lembrou, ainda, que convidou o prefeito Iris Rezende por duas vezes para esclarecer alguns pontos durante reuniões da CEI, mas o gestor não foi. “Basta, agora, esperar que os documentos cheguem de Brasília e anexá-los às investigações já feitas, para entregar o relatório”, disse.

O vereador concluiu e reforçou que desde o começo a prefeitura e a Seinfra atrapalharam a Comissão, mas que, apesar de tudo, o trabalho dos vereadores foi “produtivo”. “Ajudamos a retomar obras como a da Casa de Vidro, do Hospital Maternidade Oeste e até do BRT, evitando o desperdício de um bilhão de reais aos cofres públicos”, assinalou.

Tanto a Seinfra quanto a prefeitura de Goiânia foram notificadas pelo Jornal Opção sobre as declarações do vereador, porém não foi enviado nenhum posicionamento até a publicação desta matéria.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.