“É importante ressaltar que democracia, meio ambiente, logística, ciência e tecnologia são pautas comuns entre todos do agro e por isso queremos ampliar e fortalecer o diálogo com o atual governo de transição”, diz Jalles Fontoura que é um dos coordenadores do movimento “Agro pela Democracia”. O empresário e produtor rural disse ainda que o ex-governador José Eliton está neste momento com o coordenador da transição, Geraldo Alckmin, falando sobre as demandas do Estado de Goiás.

De modo geral, as entidades começaram a parabenizar Lula na manhã desta terça, 1 de novembro. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) afirmou que recebeu “com naturalidade o resultado das eleições presidenciais e está pronta para o diálogo e a cooperação com o governo eleito, escolhido pela maioria do povo brasileiro”.

A entidade, que é a principal do agronegócio brasileiro, diz esperar do candidato eleito políticas públicas que assegurem “segurança jurídica para o produtor, defendendo-o das invasões de terra, da taxação confiscatória ou desestabilizadora ou dos excessos da regulação estatal”. A nota disse ainda que é preciso ampliar exportações.

Outra entidade que também se pronunciou foi a Federação da Agricultura de Goiás (Faeg/Ifag/Sindicato Rural) que seguiu o mesmo posicionamento da CNA . Jalles afirma ainda que notas mostram manifestações dos caminhoneiros são apenas desabafo. “Passei hoje vindo de Goianésia e percebi que os bloqueios quase não contavam com apoio popular sendo mais uma frustração que qualquer coisa de maior profundidade”, finalizou.