Empresas negociam planos de saúde na porta do Cais Vila Nova

Pacientes afirmam que receberam orientações de funcionários da unidade pública sobre plano. Secretaria de Saúde nega e diz que comercialização não foi autorizada

Tenda montada em frente ao Cais Vila Nova | Foto: Luiz Phillipe Araújo/Jornal Opção

Uma atividade incomum chamou atenção de pacientes do Cais Deputado João Natal – “Vila Nova” nesta quinta-feira, 21. Uma tenda verde montada na calçada do hospital, além de toldos com valores, anunciava planos de saúde com “preços populares”.

Pelas redes sociais, usuários do SUS que presenciaram as negociações entraram em contato com o Jornal Opção. Apesar da presença da empresa de planos há cerca de 8 horas, a direção da unidade informou à reportagem que desconhecia a presença da tenda ali, já a empresa diz que não houve impedimento.

Segundo relato de pacientes, os que chegavam e não tinham uma vaga de atendimento eram informados pelos próprios funcionários do hospital sobre uma “segunda opção”.

Em visita à unidade de saúde, a reportagem confirmou a presença do plano. Quando procurada, a diretora do Cais, Roberta Lopes, disse estar surpresa e afirmou que não sabia que havia plano de saúde comercializando pacotes em frente à unidade. Um vendedor ambulante, no entanto, disse que quando ela chegou ao Cais, a tenda já estava na porta da unidade e que seria impossível não ter notado.

Segundo ela, aquilo não teria sido autorizado. Questionada, afirmou que reconhecia ser uma atuação irregular, mas justificou que não teria o controle da situação. Pacientes, porém, insistem que aquela seria uma ação consentida e que haveria, ainda, um interesse por parte da direção em manter a tenda ali. A diretora nega.

Consentimento do cais e a “ajuda aos pacientes”

Foram 8 horas de negociações de serviços. Acompanhando um paciente para atendimento, Isis Carneiro, conta que teria presenciado uma atendente do hospital informando valores do plano a uma segunda mulher. Essa informação, no entanto, foi desmentida pela SMS.

Com palavras firmes, Isis Carneiro, a mulher que acompanhava um paciente considerou tudo um “absurdo”.  Entre um relato e outro, Isis afirma: “São serviços garantidos pelo SUS. A presença da empresa se aproveita das falhas do atendimento”.

Após cerca de 20 minutos da presença da reportagem, o stand foi retirado pela empresa. Um dos funcionários, de maneira ríspida, chegou a dizer ao jornal que não lhes foi dito antes que a presença na calçada não era autorizada. Segundo o homem, o trabalho realizado pela empresa era de “ajuda aos pacientes sem vagas”.

Em nota, o plano de saúde Cartão de Todos disse:


O gerente da regional Goiânia do Cartão de TODOS, Ubirani Guimarães De Pinho, afirma que, ao tomar conhecimento do estande no Cais da Vila Nova, prontamente providenciou a retirada do local e afirma que esse tipo de ocorrência não irá se repetir. 

Foto: Luiz Phillipe Araújo/Jornal Opção

Secretária Municipal de Saúde

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde endossou a defesa de que não havia tido a autorização e afirmou não ter “nenhuma relação com montagem de tendas na calçada do cais Vila Nova ou  de qualquer unidade de saúde para fins comerciais”. Ainda em nota, disse que a informação de que funcionários da unidade repassam informações sobre o material exposto “não procede”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Paulo Cássio

Essa é a “gestão ” espetacular de Íris /MDB, grande!
Fora os “buracos ” em quase toda Goiânia que ele diz não existir.E os impostos , estão ai .O povo saberá avaliar.

Áureo nunes

Graças a Deus tem este tipo de empresa porque se depender do cais ou sus nos moremos na fila de espera. Verdade seja dita.

gilmar costa

Parabéns sempre ótimas matérias.