Empresários estão confiantes em acordo com Caiado para amenizar cortes em incentivos fiscais

Com reunião marcada para a tarde desta segunda (3), lideranças da Adial estão reunidos para finalizar contraproposta

Otávio Lage, presidente da Adial | Foto: reprodução

Na manhã desta segunda-feira (3/12), empresários da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial) se reúnem para finalizar contraproposta ao relatório que estabelece cortes nos incentivos fiscais às indústrias. Na parte da tarde, às 14h30, lideranças vão se encontrar com o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM), que propõe os cortes, na casa do senador Wilder Morais (DEM).

Segundo o presidente da Adial, o empresário Otávio Lage, a categoria está esperançosa de que Caiado vai estar flexível às suas propostas. “Estamos muito animados, o governador eleito é uma pessoa que sempre ajudou com os incentivos fiscais”, disse.

De acordo com Otávio, os empresários não aceitam as propostas descritas no relatório da Lei de Convalidação dos Incentivos Fiscais, que propõe cortes em 14 segmentos da indústria em Goiás. “Esse relatório vai ‘desendustrializar’ o Estado, não tem nada a ver com o que foi feito desde 1984, ele acaba com tudo o que foi construído”, considerou.

Entenda

No início de novembro, o governador José Eliton (PSDB) enviou à Assembleia uma proposta de reinstituição dos incentivos fiscais no Estado. Desde então, a matéria é alvo de polêmica. Equipe do governador eleito alega que a situação financeira de Goiás não permite a realização de tal medida.

Na semana passada, então, o relator, deputado Lívio Luciano (PODE), concluiu o relatório, enviando texto substitutivo à apreciação, em que consta cortes a 14 segmentos da indústria.

Antes disse, o relator, junto a Caiado e o senador Wilder Morais, haviam apresentado a proposta à Adial, que ficou de apresentar uma contraproposta, já que consideraram absurda a ideia de cortar os incentivos à indústria em Goiás.

O governador eleito voltou de viagem à Inglaterra neste fim de semana e, nesta segunda (3), se reúne com a categoria para discutir a contraproposta. Na terça-feira (4/12), o relatório que estava na Comissão Mista, deve ir para apreciação em primeira votação na Casa e, na quarta, para segunda e definitiva votação.

As emendas devem ser apresentadas antes da primeira apreciação. O presidente da Adial, no entanto, não quis adiantar pontos do texto que irão apresentar a Caiado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.