Empresária é a 17ª vítima de feminicídio do DF em 2021

Olívia Makoski denunciou o marido Francisco de Assis Guembitzchi em 2020 por perseguição; após atirar na esposa na presença da filha, homem tirou a própria vida

Empresários e donos do restaurante Querência do Sul, localizado em Ceilândia, Olívia Makoski e Francisco de Assis Guembitzchi | Foto: Reprodução

Somente em 2021, 17 mulheres foram vítimas de feminicídio no Distrito Federal. Entre elas, Olívia Makoski, de 47 anos. Pelo menos, isso é o que a principal linha de investigação da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam II), quanto às mortes de Makoski e seu marido, Francisco de Assis Guembitzchi, que ocorreram na madrugada deste domingo, 17.

De acordo com as apurações, os filhos – duas mulheres de 23 e 25 anos, e um homem de 29 – de ambos os empresários donos do restaurante Querência do Sul, localizado em Ceilândia, estavam na residência da família, no Pôr do Sol, no momento do crime, que ocorreu por volta de uma hora da manhã. Eles relataram aos policiais que Francisco teria atirado duas vezes em Olívia e, sem seguida, tirado a própria vida com golpes de faca.

“Uma das filhas acordou com a irmã gritando ‘o que você fez com a minha mãe’ repetidas vezes e, quando chegou na varanda, encontrou a mãe morta e o pai andando de um lado para o outro do quintal se esfaqueando no peito e no pescoço”, relatou o delegado plantonista da Deam II, Bruno Gomes. Quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local, ainda que tenha tentado socorrer as vítimas, ambas já estavam mortas.

Segundo informações coletadas pelo Correio Braziliense, nenhum dos frequentadores do restaurante do casal ou dos comerciantes próximos imaginava que Francisco e Olívia enfrentavam uma crise no casamento. No entanto, o delegado plantonista da Deam Bruno Gomes revelou que Olívia já havia tentado romper o casamento outras vezes, mas que ambos acabavam reatando por insistência de Francisco.

“Ela queria terminar o casamento e ele não aceitava. Ela começou um novo relacionamento e ele passou a persegui-la, para descobrir quem era a pessoa”, relatou o delegado. A partir disso, Olívia chegou a pedir medidas protetivas de urgência contra Francisco, que foram concedidas pela Justiça. O homem estava proibido de se aproximar da mulher e deveria deixar a casa onde moravam.

Policiais da Deam II ainda coletam elementos para traçar os últimos passos do casal e conseguir concluir o inquérito. “No local, foi encontrada uma arma (revólver calibre 38) e duas facas, possivelmente as usadas no crime. Mas só teremos a confirmação com o laudo pericial e, também, do IML”, pontuou delegada-chefe da unidade, Adriana Romana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.