Empresa que operaria 5G em Goiás desiste de arrematar lote em leilão

Segundo a Anatel, a Fly Link desistiu da oferta por não ter arrematado outros lotes que complementariam o seu modelo de negócios

5G em Goiás | Foto: divulgação

Após sair com um lance vitorioso no leilão do 5G e ter sido classificada como uma das seis novas entrantes no setor de telefonia móvel, a Fly Link apresentou um pedido de desistência do lote arrematado. A empresa havia levado o H42 com uma outorga de R$ 900 mil, para operar na faixa de 26 GHz e atender município de Goiás, São Paulo, cidades  do Sul de Minas e Paranaíba, no Estado de Mato Grosso do Sul.

A Fly Link disse, por meio de nota, que um investidor externo, cujo nome não foi divulgado, seria o responsável por garantir parte dos investimentos. O acordo, segundo a empresa, não seguiu adiante porque a Fly Link não conseguiu arrematar lotes considerados mais estratégicos. “Como isso não ocorreu, torna-se inviável desenvolver um plano de negócios contemplando apenas o lote H42, pois este lote refere-se a uma tecnologia incipiente e com mercado ainda restrito”, afirmou a Fly Link na noite desta segunda-feira (8).

Também por meio de nota, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) afirmou que o pedido de desistência foi apresentado pela Fly Link nesta segunda-feira, 8, no qual informou o desinteresse no ativo por não ter arrematado outros lotes que complementariam o seu modelo de negócios.

De acordo com a agência, o edital estabelece que a desistência de participação em qualquer dos lotes implica a execução da Garantia de Manutenção da Proposta e aplicação de multa de 10% sobre o preço ofertado na proposta vencedora. “Tendo em vista que não houve proposta adicional ao Lote H-42 considera-se o mesmo deserto”, afirmou a Anatel.

Leilão 5G

O leilão para que as empresas possam explorar o serviço de fornecimento da internet 5G terminou no último dia 5 de novembro. No leilão, foram oferecidos lotes em quatro faixas de frequência: 700 MHz (megahertz); 2,3 GHz (gigahertz); 3,5 GHz, 26 GHz e 26 MHz.

Cada uma dessas faixas foi dividida em blocos nacionais e regionais. O modelo do leilão prevê que as interessadas façam ofertas por esses blocos.  Os lotes arrecadados somam R$ 47,2 bilhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.