Emenda que amplia projeto do ponto biométrico a servidores divide vereadores

Vereador Paulo Magalhães diz que emenda é manobra para tumultuar aprovação da matéria

A emenda do vereador Alfredo Bambu ao projeto que determina a implantação de ponto biométrico para os vereadores está na relatória da Câmara Municipal de Goiânia e deve ser discutido na Comissão Mista na próxima semana_Jornal opção
Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A emenda do vereador Alfredo Bambu ao projeto que determina a implantação de ponto biométrico para os vereadores está na relatoria da Comissão Mista e deve ser discutida na próxima semana. Para o autor da matéria, Paulo Magalhães (PSD), a emenda é uma manobra que surgiu por parte daqueles que perderam a eleição para a mesa diretora.

“Não sou contrário à emenda do vereador Alfredo Bambu. Mas compreendo que houve manobra nos bastidores por um pequeno grupo contrário ao projeto do ponto biométrico”, disse Magalhães .“Tenho aliados na Comissão Mista que vão discutir o tema e espero que eles encontrem a melhor solução possível para essa matéria que é de grande relevância para a sociedade”, emendou Magalhães.

Caso a emenda seja derrotada na comissão, o texto volta ao plenário e seguirá os trâmites normais, explicou o vereador. “Aquele que se opor será lembrado nas próximas eleições”, pontuou Paulo Magalhães.

Magalhães também alfinetou os colegas contrários à matéria, em especial Bambu. “Sugiro ao vereador Alfredo Bambu que apresente um projeto bem elaborado e vamos discutir ao invés de apenas tumultuar e atrasar a votação do meu projeto, que agora volta para a Comissão Mista para analisar a emenda”, defendeu o vereador.

Divisão na Casa

Bambu, por sua vez, explicou à reportagem que tem recebido apoio para que a medida seja estendida a todos os servidores da Casa. Ele negou que a emenda tenha como objetivo principal tumultuar a aprovação do projeto, como forma de retaliação ao grupo que venceu as eleições para a mesa diretora.  “Entrei nesta Casa tranquilo, não participei e nem perdi a eleição para a presidência desta Casa. Além disso, minha emenda tem assinatura de mais de 20 vereadores”, concluiu.

À reportagem, Paulo Magalhães disse contar com 22 vereadores que estariam engajados na aprovação do projeto. Segundo ele, Clécio Alves (relator da matéria na comissão), Alfredo Bambu e Andrey Azeredo estão contra a matéria. Outros 10 vereadores estariam em contato com o parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.