Embates na Câmara vão aperfeiçoar Reforma da Previdência, diz líder do Governo

Major Vitor Hugo considerou que as discussões entre situação e oposição irão contribuir para um texto final mais trabalhado

Foto: ABR

O líder do Governo de Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), que tem como primeira tarefa articular a aprovação da Reforma da Previdência, disse que o texto deve ser aperfeiçoado na Casa e nega fracasso no diálogo com os parlamentares.

O goiano convocou para terça-feira, 5, uma reunião com os colegas para apresentar aos colegas as pautas prioritárias da gestão. No entanto, a má interpretação de expressões utilizadas no convite fez com que o encontro fosse esvaziado.

Na chamada, a equipe de Hugo convidava deputados de “apoio consistente” e “apoio condicionado” a Bolsonaro. Em coletiva, o ex-consultor legislativo explicou que os termos foram retirados do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Major ainda disse reconhecer que a reforma será alvo de discussões e embates na Casa, mas considera que isso só contribuirá para um texto final melhor trabalhado. “O governo vai enviar uma proposta em breve. O choque de ideias no Parlamento vai fazer, com toda a certeza, que a proposta seja aperfeiçoada”, disse.

Segundo ele, o Governo irá permitir o debate e prestigiar os líderes durante a articulação que deve ter “embate legítimo, cordial, dentro da medida do possível, entre a oposição e o situação”. O líder também informou que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), deu um prazo de 15 a 20 dias para definir a composição das comissões parlamentares permanentes.

Maia também já disse que é possível a sua aprovação até maio, para que o Senado aprove em junho ou julho, caso a base aliada esteja articulada. “Mas isso é uma referência: o prazo do Parlamento vai ser respeitado”, esclareceu o Major.

Com informações da Agência Brasil

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.