Em vitória de Renan Calheiros sobre Arthur Lira, Paulo Dantas é eleito governador de Alagoas

Emedebista terá mandato tampão até dezembro depois de conquistar 21 votos no pleito entre deputados do Legislativo alagoano

Paulo Dantas, eleito governador para mandato tampão pela Assembleia alagoana | Foto: Reprodução

A Assembleia Legislativa de Alagoas elegeu, em sessão especial na tarde deste domingo, 15, o deputado estadual Paulo Dantas (MDB) como novo governador para um mandato tampão até 31 de dezembro.

Ele terá como vice o médico José Wanderley Neto (MDB), que já foi vice-governador do Estado entre 2005 e 2008. Dantas foi eleito com 21 votos dos deputados. O deputado Antônio Albuquerque (PTB) votou em branco e outros dois deputados faltaram à sessão.

Os concorrentes Davi Maia (União) e Cabo Bebeto (PL), que são deputados estaduais, puderam votar em si mesmos. Cada um só recebeu o próprio voto. Danúbia Barbosa (Avante), que não integra a Assembleia, também teve um voto, da deputada Jó Pereira (PSDB).

Com um atraso de 13 dias, a eleição indireta confirmou o favoritismo de Dantas e mantém o grupo emedebista, comandado pelo senador Renan Calheiros (MDB) e pelo ex-governador Renan Filho (MDB), no poder no estado. Desde 2015, Alagoas é comandada pelo MDB, que teve Renan Filho eleito em 2014 e reeleito em 2018. O ex-governador renunciou no dia 2 de abril para poder disputar a cadeira alagoana ao Senado.

O ex-deputado estadual e agora governador de Alagoas tomou posse de forma imediata no cargo e já prepara a candidatura à reeleição ao governo, com apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em seu discurso no plenário do parlamento, Dantas criticou o que chamou de “ataques covardes” ao citar as tentativas judiciais de adiar a eleição indireta. “Tentaram golpear nossa democracia tentando desestabilizar Alagoas. Fizeram chicana com o processo”, disse.

A declaração foi uma indireta para o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que durante todo o processo eleitoral travou embate com o senador Renan Calheiros – o PP entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) por conta da eleição indireta, o que resultou no adiamento da votação.

* Com informações do portal UOL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.